Ação conjunta flagra madeireiras com atuação ilegal em Goianésia do Pará – Agência Pará

No combate à exploração madeireira ilegal no Estado, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e a Polícia Civil fiscalizaram quatro madeireiras na última semana em Goianésia do Pará, região do Lago de Tucuruí. O agente de fiscalização da Semas Marco Aurélio Oliveira e o delegado Marcos Miléo coordenaram a operação, que lacrou máquinas, apreendeu madeira e carretas e ainda estornou volumes falsos declarados ao Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora).77848_247046

Na primeira empresa fiscalizada não houve apreensão de madeira, mas o maquinário foi lacrado por estar na atividade sem a devida licença ambiental. A equipe também detectou que as informações prestadas ao Sisflora sobre volumes de mais de 1,2 mil metros cúbicos de madeira em tora e 500 metros cúbicos de serrada eram falsas, e o material não foi encontrado no pátio da madeireira. O estorno do produto foi feito para impedir o comércio da madeira de origem ilegal.

Outra madeireira teve o cancelamento de todo o saldo declarado ao Sisflora, por não haver material estocado na empresa. O estorno atingiu 120 metros cúbicos de madeira serrada e 30 metros cúbicos em tora, que saíram do sistema para coibir a ilegalidade nas transações comerciais.

Houve apreensão de madeira em tora nativa de uma empresa onde o volume das espécies maçaranduba, jatobá, angelim vermelho e pequiá totalizou 464,15 metros cúbicos em toras e mais 9,63 metros cúbicos de madeira serrada. O empreendimento declarou ter, de forma falsa, 234,33 metros cúbicos de madeira em tora e 411,67 metros cúbicos serradas, que foram estornadas para evitar a venda de créditos madeireiros fraudulentos e acobertamento da exploração ilegal de produto florestal.

Diversas espécies nativas, como taxi, pau roxo e angelim vermelho, entre outras, foram apreendidas durante a última fiscalização executada: 910,14 metros cúbicos de madeiras nativas em toras e 118,32 metros cúbicos serrados. A empresa também foi autuada por fornecer declaração falsa de saldo no pátio e houve estorno 1.052,22 metros cúbicos de madeira em tora e 12,68 serrada. Somadas a essas ilegalidades, também foram apreendidas duas carretas com madeira serrada, por estarem fora da rota declarada na Guia Florestal.

Por Naiana Gaby Ferraz Monteiro Santos

Fonte: Agência Pará

Banner rodapé fornecedor

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/xsgiC

Você pode gostar...