Adepará apresenta proposta de criação da área livre de pragas de citros em Capitão Poço – Agência Pará

O URL curto do presente artigo é: https://wp.me/p49eYW-39X

O diretor geral da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), Luciano Guedes, entregou na tarde da quinta-feira (19), a proposta básica do projeto de área livre de pragas da microrregião de Capitão Poço ao novo titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca, Giovanni Queiroz. A reunião ocorreu na sede da Sedap, em Belém, e contou ainda com a presença do empresário da Citropar, Júnior Zamperlini; o adjunto da Sedap, Afif Al Jawabri, e o deputado estadual Sidney Rosa.

O documento entregue pelo diretor geral da Adepará traz informações sobre a citricultura no Pará, entre elas, a descrição dos dois polos citrícolas do Estado: a microrregião de Capitão Poço, englobando, inicialmente, os municípios de Capitão Poço, Garrafão do Norte, Irituia, Nova Esperança do Piriá e Ourém; e Monte Alegre.

Luciano Guedes explica que a entrega da proposta para a Sedap busca o envolvimento do novo titular da secretaria no projeto de tornar a microrregião de Capitão Poço área livre da praga cancro cítrico. “A reunião serviu para debatermos, sobretudo, as ações de defesa sanitária, fortalecimento para os citros e, consequentemente, para o agronegócio paraense. A área livre é possível a partir de ações que a agência já realiza, que é um rigoroso trabalho de defesa sanitária, por meio de ações de monitoramento e fiscalização, entre outras demandas”, explica o diretor geral da Adepará.

Para o empresário Júnior Zamperlini, da Citropar, considerada a maior empresa produtora de cítricos do Norte e Nordeste do País, a construção da área livre vem para potencializar a região, que já é ricamente produtora. Em breve, a empresa, que produz laranja, limão e tangerina, vai colocar em funcionamento a primeira fábrica de suco de laranja no Pará, que teve o apoio do Governo do Estado. “A área livre é exigência e uma necessidade, que vai fazer parte da nossa realidade. Com ela, teremos as portas abertas da exportação para a produção paraense, seja para outros estados brasileiros, seja para outros países. É uma garantia para o comércio”, diz.

O deputado estadual Sidney Rosa, que integra a Frente Parlamentar de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável do Pará, diz que a área livre de Capitão envolve, entre outros aspectos, a geração de emprego e renda para o Estado. “Esta ‘Frente’ tem a responsabilidade de incrementar oportunidades para que empresas possam se estabelecer no Estado e com isso aumentar o crescimento econômico. A citricultura paraense e o polo citrícola de Capitão Poço são de grande importância e terão um alcance posititvo muito grande para o Pará”, avalia.

Giovanni Queiroz, que assumiu recentemente a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), fez uma breve descrição da região produtora e se disse empenhado em contribuir com as ações para que a microrregião de Capitão Poço obtenha a certificação de área livre de cancro cítrico. “É uma região extraordinária, que já produz frutas e já possui uma indústria de suco. A área livre será uma proteção para esta região, para que ela seja também produtiva por longo prazo”, acredita.

Por Camila Moreira

Fonte: Agência Pará

Banner rodapé fornecedor

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: https://wp.me/p49eYW-39X

Você pode gostar...