Alianza del Pastizal apresenta a comitiva internacional modelo de pecuária que conserva recursos naturais – Embrapa

Foto: Fernando Goss

Foto: Fernando Goss

Produtores de gado da Alianza del Pastizal receberam nesta semana uma comitiva internacional para apresentar os resultados de dez anos dessa iniciativa, que tem por objetivo incentivar o desenvolvimento de uma pecuária sustentável sobre campos naturais nos países do Cone Sul. Entre os participantes da comitiva estavam representantes da ONG BirdLife, principal mantenedora da iniciativa, da agência de conservação ambiental dos Estados Unidos, USDA Forest Service, Banco Mundial e representantes de instituições da Colômbia, Bolívia, México, Espanha e Holanda. Na agenda, a comitiva visitou três propriedades membros da Alianza no Rio Grande do Sul, nos municípios de Dom Pedrito e Quaraí. Além da apresentação dos produtores, foram realizadas palestras técnicas, como sobre a emissão de gases de efeito estufa pela pecuária em campo naturais, apresentada pela Embrapa Pecuária Sul e sobre o monitoramento de aves nos campos naturais, conduzida pela Fundação Zoobotânica do RS.

Segundo o coordenador regional da Alianza del Pastizal para os quatro países, Nicolas Marchand, além de apresentar para entidades financiadoras os resultados de dez anos de trabalho, a visita também teve como objetivo prospectar novas oportunidades de cooperação. Para Marchand, desde o início das atividades se observou grande interesse e adesão de produtores no programa, que dissemina uma produção pecuária que conserva o ecossistema natural e a biodiversidade. “O bioma Pampa tem culturalmente uma produção pecuária que conserva seu ambiente. Queremos estimular que mais produtores adotem esse modelo que preserva as pastagens naturais e toda a biodiversidade do bioma”, ressaltou Marchand.

No Rio Grande do Sul, atualmente são mais de 120 propriedades membros da Alianza do Pastizal, que para participar da iniciativa têm que se comprometer em conservar pelo menos 50% dos campos naturais da área total de produção. De acordo com o coordenador da Alianza no Brasil, Marcelo Fett, fazem parte do projeto propriedades de diferentes tamanhos e sistemas de produção, porém com esse compromisso de conservação do bioma. A estância Três Marias, de Dom Pedrito, uma das que foi visitada pela comitiva, produz gado de corte e ovinos em uma área em que 95% do total é preservada, mantendo os campos nativos e a biodiversidade de aves e mamíferos existente.

O diretor para as Américas da BirdLife, Esteban Lasso, ressaltou que a ONG patrocina iniciativas em todo o mundo que aliam a conservação ambiental e a produção econômica. “A experiência da Alianza del Pastizal está sendo um sucesso e queremos levar este exemplo para outros países”. Já o pesquisador da USDA Forest Service, James Chu, salientou que os resultados são bastante positivos e que pretendem implementar inciativas similares na América do Norte. “O trabalho realizado aqui demonstra que é possível um modo de produção e de vida que alia a produção com a conservação dos recursos naturais”, afirmou.

Gases de Efeito Estufa – Em um dos encontros com a comitiva realizada na Estância Três Marias, a pesquisadora da Embrapa Pecuária Sul, Cristina Genro apresentou resultados da pesquisa que mediu a emissão de gases de efeito estufa (GEE) pela pecuária em pastagens naturais no Sul do Brasil. Segundo a pesquisadora, a pecuária brasileira é acusada de ser uma das principais responsáveis pela emissão de GEE, contribuindo com o processo de mudanças climáticas. Porém, salientou Genro, essas afirmações eram feitas sem dados concretos de pesquisa. Durante três anos, a Embrapa vem avaliando a emissão de GEE nos diferentes biomas brasileiros, e as pesquisas realizadas no Pampa, mostram que a realidade é bem diferente. “Conforme o manejo, chegamos a um resultado que a emissão chega a ser 43% menor do que aquele apresentado pelos organismos internacionais. Isso sem falarmos no estoque de carbono que permanece no solo nesse sistema de produção. Ou seja, a pecuária produzida nas pastagens naturais do bioma Pampa sequestra mais carbono do que a emissão GEE para a atmosfera”, ressaltou a pesquisadora.

Carne certificada – Desde maio, carne produzida por membros da Alianza del Pastizal está sendo comercializada com um selo, atestando a produção feita em um sistema conservacionista. Segundo Marcelo Fett, uma parceria com o frigorífico Marfrig e a rede de supermercados Carrefour, está possibilitando levar ao consumidor essa carne produzida de um modo sustentável. O diretor comercial para o Sul do Brasil do Carrefour, Emerson Azenha, que também participou do encontro, afirmou que a carne com o selo está sendo comercializada inicialmente no Rio Grande do Sul, mas que o objetivo é expandir para outras regiões do país. “Esse tipo de produção é o futuro do consumo e também uma das diretrizes da empresa. Ou seja, produzir com sustentabilidade e preservando a biodiversidade”, disse Azenha.     

 

Fernando Goss (MTb 1065 SC)
Embrapa Pecuária Sul

Fonte: Embrapa

Banner rodapé fornecedor

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-2VV

Você pode gostar...