WhatsApp - 94.99148.2775

América do Sul pauta o futuro do agronegócio

Evento inédito, que ocorre nesta semana em Foz do Iguaçu, aponta tendências e coloca em debate os desafios ao crescimento sustentável do agronegócio. Dias 21 e 22 de novembro lideranças do setor agropecuário, especialistas e autoridades de vários países e continentes estarão juntos para 1º Fórum de Agricultura da América do Sul. Organizado pelo Agronegócio Gazeta do Povo e pelo Conselho Agropecuário do Sul (CAS), a iniciativa pretende discutir e estabelecer novos parâmetros ao desenvolvimento da região, que alcança participação cada vez maior no mercado global.

520x325Em pauta, temas transversais, como mercado e tecnologia, e as principais cadeias produtivas da agricultura e pecuária. Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile e Bolívia, países que integram o CAS, entendem que é preciso pautar as tendências do agronegócio mundial e chamar a atenção do mundo nas relações com o bloco. Com potencial singular à produção e exportação, os seis países assumem a responsabilidade de atender a crescente demanda mundial por alimentos e energia. Mas querem, em contrapartida, participar mais ativamente das decisões políticas e comerciais que regulam a atividade no ambiente internacional. Para tanto, convocaram ao Fórum representantes do público e do privado e entidades de representação, do lado da oferta e da demanda. Chineses, indianos, europeus, norte-americanos e latino-americanos fazem parte da programação.

Agenda

Serão 11 painéis e três grandes conferências, além da mesa de ministros que na manhã de quinta-feira abre o evento e deve ditar o tom das discussões. Os ministros dos seis países estão previamente confirmados. Ao todo, 34 palestrantes vão expor seus temas e avaliar produção, mercado e sustentabilidade. Trata-se do primeiro evento da região organizado com a proposta de avaliar o mercado mundial sob uma perspectiva sul­americana e também de traçar o próprio potencial da região. Além das autoridades, devem participar analistas que acompanham o crescimento do consumo global por alimentos. Conferências e painéis vão mostrar como os países integrantes do CAS vêm trabalhando diante dessa demanda.

Responsável pela conferência de abertura do Fórum, Ken Ash, diretor de Agricultura e Comércio da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) remete a importância das discussões à necessidade de se equacionar oferta e demanda, produção e consumo. Segundo Ken Ash, mais do que o crescimento da população, de 7 bilhões para 9 bilhões de habitantes até 2050, é o aumento na renda per capita que amplia a demanda por alimentos, rações e combustíveis. “Um crescimento equivalente na produção ainda não está garantido”, pontua. É nesse sentido, complementa, “que o mundo espera um aumento significativo da produção e das exportações da América do Sul”.

Programação

Dos temas de interesse comum às cadeias produtivas e produtos regionais, os painéis e conferências abordam produção, mercado, tecnologia e sustentabilidade.

• Mesa de Ministros (dia 21)

Os Ministérios da Agricultura dos seis países integrantes do Conselho Agropecuário do Sul (CAS) apresentam seu foco de atuação. Participam os ministros Norberto Yauhar (Argentina), Nemesia Achacollo (Bolívia), Antônio Andrade (Brasil), Luis Mayol (Chile), Jorge Gattini Ferreira (Paraguai), Tabaré Aguerre (Uruguai).

• Conferência de Abertura (dia 21)

A Agricultura no contexto da economia mundial será o tema de Ken Ash (foto), diretor de Agricultura e Comércio da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

• Conteúdo no almoço (dia 21)

Dois painéis serão realizados em ambientes distintos no almoço de quinta-feira. A produção de agroenergia e biocombustíveis, como O potencial que vem do campo será o tema de Miguel Almada (Argentina). O cooperativismo e o associativismo apresentam O modelo cooperativo como uma alternativa ao agronegócio com abordagem de Luiz Roberto Baggio (Brasil) e Ursina Leguizamón (Paraguai).

• Tarde de encontros (dia 21)

Quatro painéis simultâneos darão sequência à programação da tarde. Com Fernando Sampaio (Brasil) e comentários de Alejandro Loti (Argentina) o assunto é a produção de carnes de bovinos, suínos e aves. Produção e mercado de trigo envolvem Marcelo Yasky (Argentina), com intervenções de Gonzalo Souto (Uruguai). Os dois painéis terão abordagem da Oferta à demanda no contexto regional. O uso de biotecnologia e questões de biossegurança reúnem a palestrante Alejandra Sarquis (IICA, Chile) e os comentaristas João Antônio Fagundes Salomão (Brasil) e Lorenzo Basso Riego (Argentina) na discussão sobre Avanços e desafios para o desenvolvimento da agricultura. O quarto painel será sobre quinoa, estévia e produtos florestais, com Víctor Hugo Vásquez (Bolívia), Javier Casaccia (Paraguai) e Humberto Tommasino (Uruguai) no contexto dos Produtos de interesse nacional.

• Produtos de peso (dia 21)

Dois dos três painéis das 16h30 vão tratar de commodities com ampla participação no mercado global. Oferta e demanda no contexto regional e mundial traz ao debate soja, milho e sorgo por Glauco Monte (Brasil) e Pablo Adreani (Argentina). Paralelamente, o mercado de lácteos será explanado por Maria Elena Vidal (Uruguai), sob comentários de Arturo Videla (Argentina).

• Insumo estratégico (dia 21)

A comunicação como um dos elos da cadeia produtiva é o tema do painel comunicação e agronegócio por Reinhold Stephanes (Brasil) (foto) com a participação de Giovani Ferreira, do Agronegócio da Gazeta do Povo.

• Noite adentro (dia 21)

A discussão sobre infraestrutura e logística com a apresentação Caminhos ao desenvolvimento e à competitividade ganha espaço com palestra de Luiz Antônio Fayet e comentários de Nilson Hanke Camargo (ambos do Brasil). Eles vão falar de gargalos e competitividade. O tema Água, sustentabilidade e mundanças climáticas terá palestra paralela de Felipe Martin (Chile), com comentários de Walter Ohyantzabal (Uruguai). As duas explanações ocorrem durante o jantar, em horários simultâneos.

• Manhã do mercado global (dia 22)

Todos os participantes do Fórum participam de apresentação coletiva sobre Comércio agrícola, uma visão da demanda. Estão confirmados Tom Lin Tan (diretor da esmagadora chinesa Hopefull Group em Chicago), Lalit Khulbe (diretor da empresa indiana United Phosphoros Limited/UPL), Seneri Paulo, (diretor da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso, Famato) e Célio Porto (ex-secretário de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mapa).

• Perspectiva regional (dia 22)

A apresentação que encerra a série de 15 debates será com o ministro da Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai, Tabaré Aguerre (foto). Ele vai apresentar a América do Sul como região de produção sustentável de alimentos para o mundo.

Serviço

O 1º Fórum de Agricultura da América do Sul será realizado no Hotel Bourbon Cataratas, em Foz do Iguaçu, nos dias 21 e 22 de novembro. As inscrições podem ser feitas no site www.agrooutlook.com e no local do evento.

Fonte: Portal do Agronegócio

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/rbKcB7i
Sobre o autor
Rodrigo Fraoli - CEO Ruralbook / Designer / Especialista em MKT Digital para o Agronegócio. * Saiba mais em #mktparaoagro - RURALBOOK *

Posts relacionados

Seja o primeiro a comentar