Armando Soares #18: Tempos difíceis

A humanidade está passando por momentos difíceis apesar do avanço civilizatório. O homem avançou em muitos setores, mas não conseguiu avançar no respeito e amor ao próximo. Vivemos ainda em guerras constantes uns contra os outros, seja através dos exércitos, seja nas ruas. Também ficamos perdidos num mundo globalista frio, misterioso que produz secretamente leis que são impostas as pessoas e aos governos, hoje meras peças decorativas. Perdemos a liberdade, a alta estima, o amor à pátria, a dignidade, o livre arbítrio nesse novo mundo globalizado, um holismo distorcido para justificar um processo universal de escravidão da cidadania.

armando-soares (1)Olavo de Carvalho nos dá uma ideia desse novo mundo mostrando nossa sujeição aos interesses de blocos globalista agentes da Nova Ordem Mundial. Esses blocos são: o bloco globalista Bildeberg que representa os interesses ocidentais; o bloco Russo/Chinês e o Bloco Islâmico. Dos três, esclarece Olavo, só um deles tem a definição geopolítica correspondente a nações-estados que é o bloco Russo/Chinês. Isso acontece porque nessa região não há grupos concorrentes. A elite da Rússia e da China é a elite do velho partido comunista. Portanto, o interesse desse bloco corresponde aos interesses dos países deles. Não se pode dizer o mesmo do bloco Islâmico e do bloco globalista Bildeberg. O bloco globalista Bildeberg onde se encaixa os interesses ocidentais, a elite anglo-americana não defende os interesses de nação nenhuma, mas os interesses do futuro governo mundial. Os Estados Unidos da América como nação não é agente do processo internacional é apenas uma área em disputa. As ações nos EUA são pontuadas, de conformidade com as convicções de quem governa.

A história nos mostra de uma unidade de ação para seguir este ou aquele caminho só é possível com uma ditadura, daí a busca por um governo mundial que seria implantado sem problemas, sem concorrentes atrapalhando. Isso pode vir por qualquer bloco, desde que com unidade de ação. Mas, tendo como referência as explicações e conhecimento de Olavo de Carvalho, a implantação do novo comunismo já está em curso nos Estados Unidos da América e outros países ocidentais, tudo montado através de um governo mundial secreto, isto porque a política internacional se tornou 80% secreta. As decisões verdadeiras são tomadas em instâncias fora da mídia. As leis e decisões que nos atingem saem sem que se saiba quem propôs. De repente somos surpreendidos por obrigações válidas para o mundo inteiro. O campo do meio ambiente está cheio de exemplos dessa natureza, ou seja, o país que não se enquadrar dentro das exigências de ordem ambiental fica fora do mercado internacional. De onde vieram essas exigências ninguém sabe. Esse novo mundo secreto aprovou via ONU que o mediador entre a criança e os seus pais é o Estado. De repente esse novo mundo destrói a cultura dos povos, joga filho contra pai e vira lei. Já algum tempo estão vindas leis prontas da ONU para o Brasil e ninguém se dá conta. Olavo de Carvalho explica que essas leis não são de governo secreto, mas parecem secretas porque a complicação é tão grande que um cidadão comum não consegue acompanhar as decisões tomadas a sua revelia. Criou-se no tempo uma barreira intectual intransponível que alcança os vários níveis de governo. Quem, por exemplo, pode acompanhar as exigências legais tributárias federais e estaduais no Brasil? A vastidão de leis e exigências de natureza ambiental? Tudo está sendo feito a algum tempo de modo que o cidadão e as células produtivas de serviços, industriais, rurais e comerciais fiquem reféns de governos e blocos de dominação.

No entendimento de Olavo de Carvalho deve-se considerar que o governo hoje já é secreto. Até o século IXX, a influência secreta se limitava ao campo militar. No século XX, os russos inventaram a KGB, que era a verdadeira administração do país. Havia dois pilares na administração, a KGB e o Partido, mas quem mandava era a KGB que tinha todas as fichas dos membros do Partido. Quando a União Soviética caiu, a KGB ficou intacta e ainda aumentou o seu contingente. Hoje tem mais poder do que tinha durante o regime comunista. A KGB representa a polícia secreta, o Estado policial na sua forma mais pura que já existiu, a expressão mais pura do totalitarismo. Daí se pode imaginar como funcionava o governo do ditador Getúlio Vargas com sua polícia política, apesar de se comparado com a KGB, não passava de uma bosta, mas um governo muito elogiado até hoje por brasileiros medíocres. Esse tipo de governo que existiu por muito tempo no Brasil foi um dos responsáveis por surgimento do PT, Lula e outras excrecências políticas que vem atrasando o desenvolvimento do Brasil.

Olavo de Carvalho toca num ponto importante para se conhecer a realidade do mundo que vivemos hoje, o qual envolve a famosa Perestróica ou o comunismo com uma nova roupagem que vem se infiltrando rasteiramente em todas as grandes nações no mundo, atingindo a nós outros brasileiros, envolvendo nossa Amazônia e as nossas riquezas, o que explica a obediência de nossos políticos e governantes nacionais e regionais as regras impostas advindas de fora do Brasil. A Perestróica cabe como uma luva na ideia de um novo mundo, de um governo mundial. Esse modelo beneficia as grandes corporações que se livram da concorrência, da economia de mercado. Esse novo mundo vem com uma dupla proteção, por um lado vem o totalitarismo que se protege a si mesmo assegurando lugares para seus membros nas novas modalidades de governo, por outro lado à elite ocidental inteira dona dos meios de comunicação encobrem tudo para ninguém saber coisa nenhuma e abrir caminho para os novos comunistas.

O mundo que estamos vivendo é o mundo da falsidade total, da mentira total, amparado por uma mídia nacional e internacional que se transformou numa rede de camuflagem, o que quer dizer que a grande mídia não tem confiabilidade nenhuma é a mentira estruturada é um negócio de engenharia social. Sabendo disso é fácil entender o que ocorre no Brasil e no Pará e por que o Brasil afundou e o Pará não cresce e se sujeita a ser o jardineiro do novo mundo que não deixa o Pará e a Amazônia se desenvolver enquanto não estiver pronta a utilização plena dos recursos naturais para atender os interesses do governo mundial, prova de que não somos mais, os brasileiros, donos da Amazônia.

Uma das provas mais significativa de que se está acabando com a democracia e que está em curso um governo mundial é o que está acontecendo nos EUA. No tempo da ditadura militar, os militares inventaram um negócio que era o decreto secreto. Nos EUA estão fazendo decreto secreto um atrás do outro em tempo de paz. A democracia americana está acabando e ninguém se dá conta disso. A autoridade do governo americana cresceu a um ponto que deixa inveja aos grandes ditadores. Os EUA parecem mais uma União Soviética ou uma Alemanha nazista em nossos dias, isso porque graças a Perestróica já está sendo implantado nos EUA o sistema soviético. Se não é isso, então o que é quem está criando decreto secreto um atrás do outro? E forçando todas as organizações de caridade a subsidiar o aborto, e não só o aborto, a esterilização também. Mas, como a coisa é muito grande e complicada, o indivíduo americano não sabe o que está se passando e não pode reagir. Isso é o novo mundo!

Com uma KGB e um FBI tão poderosos, nós fracotes brasileiros perguntamos, por que esses fortões não divulgaram ao mundo o roubo que estava havendo no Brasil a ponto de afundar o país numa crise sem precedente ou igual no mundo considerando o tamanho do roubo? Havia interesse de afundar o país para facilitar a implantação do novo comunismo? Ou havia outras razões? A Venezuela não conta porque suas riquezas naturais não se coparam com as do Brasil.

Diante de tempos tão difíceis questionamos se tudo o que escrevemos sobre um novo mundo, a criação de um governo mundial é verdade ou a verdade é outra? A verdade para nós paraenses é que estamos assistindo o Pará andar cada vez mais para trás igual a um caranguejo, tudo em razão de maus políticos, maus governadores, verdades que são ocultadas pela mídia que deveria ser um dos principais fiscais do povo, mas que se escondem atrás da cortina de seus interesses. Certamente com apoio da mídia poder-se-ia colocar na frente da administração do Estado do Pará pessoas preparadas com moral ilibada para que no curto prazo impulsionasse o Estado para um desenvolvimento extraordinário.

Armando Soares – economista

e-mail: armandotixeirasoares@gmail.com

*Todo conteúdo da postagem é de responsabilidade de seu autor.

Banner rodapé fornecedor

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-2Iq

Você pode gostar...