WhatsApp - 94.99148.2775

Armando Soares #11: Avaliação de cenários políticos


“Não existe nenhum proletário, nem mesmo um único movimento comunista que não tenha trabalhado a favor dos interesses do dinheiro, na direção indicada pelo dinheiro e pelo tempo permitido pelo dinheiro – sem que vários de seus líderes idealistas nem sequer suspeitassem desse fato.”
(Oswald Spengler, Decline of the West)

Imagem Coluna ASO trabalho de saneamento político e administrativo depois de afastar do poder o PT, Dilma, Lula vai ser demorado. Não esqueçamos que são quase 20 anos do PT no poder tentando destruir as instituições, as propriedades privadas através de assaltantes financiados com dinheiro público, a economia, a saúde pública, o ensino público contaminando as mentes das crianças, com uma política ambiental sinônimo do atraso, as empresas públicas com a corrupção, em resumo a destruição da república, da democracia, da honra, da ética, da moral, tudo para facilitar a montagem passo a passo do regime comunista sob a orientação de uma filosofia diabólica de Antonio Gramsci que aconselhava a instauração de um regime comunista em países com uma democracia e uma economia relativamente consolidadas e estáveis, sem utilizar a força. A estratégia aconselhada por Gramsci é infiltrar lenta e gradualmente a ideia revolucionária, sem declarar que isso estava sendo feito, sempre pela via pacífica, legal, constitucional, entorpecendo consciências e massificando a sociedade com uma propaganda subliminar, imperceptível aos mais incautos que, por sinal, representam a grande maioria da população, objetivo que somente poderia ser atingido pela hegemonia e ocupação de espaços.

A supremacia comunista se realiza buscando a criação de uma mentalidade uniforme em torno de determinadas questões, induzindo a população a acreditar ser correta esta ou aquela medida, este ou aquele critério, esta ou aquela análise de situação, de modo que quando o comunismo tiver tomado o poder, já não haja qualquer resistência. Foi o que estava em curso no Brasil com o PT comunista no poder sob o comando de Lula e Dilma, uma guerrilheira comunista de carteirinha para executar o projeto de comunização do Brasil. Quem se encarregou de disseminar as diretrizes foi o PT e os partidos satélites declaradamente comunistas. Seus objetivos era buscar os formadores de opiniões, como professores, universitários, jovens imberbes e irresponsáveis que servem aos comunistas, mas vivem na gandaia mantida por pais também irresponsáveis que contribuem para um Brasil anárquico e escravagista. O mercado editorial, aqueles que se caracterizam pela pobreza intelectual, também tem parcela de culpa nessa tentativa de conduzir o Brasil para a lama pútrida comunista.

São muitos os exemplos que fazem parte dos movimentos sociais sem senso crítico e incapazes de analisar seus efeitos maléficos, movimentos constituídos por pessoas anormais ou bárbaros desprovidos de intelectualidade, como o MST e outros movimentos dessa espécie, a rameira intelectual da sociedade, todos visando destruir por completo os reais valores da sociedade, todos estimulados e sustentados pelo PT.

A estratégia de Gramsci aplicada pelo PT era transformar os brasileiros em autômatos ou ventríloquos que sabem falar sem abrir a boca e mudando de voz que parece sair de outra pessoa e não dele. Este é o momento de a sociedade dizer em alto e bom som que não aceita a ditadura comunista do PT, a demolição das instituições, a abolição da propriedade privada, ideologia que queria imprimir nos brasileiros de que só o Estado comunista pode resolver seus problemas, o menor que seja o que pode explicar o aumento progressivo e permanente do Estado, e o consequente aumento da carga tributária que mata progressivamente célula produtiva privada.

Apesar da natureza do brasileiro avesso historicamente ao comunismo, nem mesmo assim resistiu aos ataques do PT que contaminaram durante algum tempo a mente das pessoas, mesmo assistindo verdades na televisão como é o caso dos sem-terra, vadios sustentados pelo governo petista, supostamente massacrados pela Polícia Militar, em Eldorado dos Carajás, no sul do Pará, quando a realidade mostrada pela televisão destaca bandidos armados com foices, enxadas e revolveres correndo para cima dos soldados para mata-los, sem alternativa para os militares a se defenderem. Entretanto, para poder consolidar a imagem deformada do social amazônida e contribuir para o convencimento do mundo rico que banca o caos institucional na região, decidiu-se crucificar os valentes militares, que sem apoio de um governador covarde, foram condenados por uma justiça impregnada de comunistas ou cegos por conveniência. Uma vergonha que comprova a destruição da justiça promovida pelo PT e por conveniências internas. Esse foi um jogo sujo transmitido pela televisão para todo mundo ver e não por dúvida sobre a verdade que demonstra que o PT e forças estrangeiras perderam o medo por considerar ter sob seu domínio as instituições e as mentes dos brasileiros. Encaixa-se nesse processo asqueroso a crença de que os produtores agropecuários são todos uns cretinos que escravizam trabalhadores indefesos, fundamento para que o direito de propriedade seja eliminado da Constituição, o que de uma forma ou outra já vem acontecendo dado à fragilidade da justiça que está confundindo democracia e justiça com anarquia e o total desrespeito do governo do Pará que se nega a cumprir as decisões da justiça, uma prova de que o PSDB põe em campo no Pará todo o seu viés socialista que não aceita a propriedade privada e a livre iniciativa e mantém a região em estagnação econômica com leis e decisões ambientais irresponsáveis.

O cenário que vem sendo montado no Brasil pelo PT também serve a estratégia da Nova Ordem Mundial, razão porque os conflitos previamente construídos na Amazônia com destaque para os assassinatos de Chico Mendes, Dorothy Stein, envolvimento de índios e outros, teve o objetivo de inicialmente provocar a revolta e escandalizasse o mundo rico, o que facilitava o aporte de recursos para a implantação de uma política ambiental travosa facilitando a intromissão estrangeira na região através de ONGs internacionais, como a WWF presidida por um príncipe inglês. A implantação do comunismo pelo PT e as ações do Governo Mundial é um casamento espúrio, diabólico que faz parte das ações das organizações secretas onde se agasalham as grandes corporações econômicas e famílias poderosas e seculares. Para esse pessoal vale tudo, não importando as consequências.

O que deu errado no acabamento da implantação do comunismo pelo PT no Brasil se deve a mediocridade, a corrupção endêmica de políticos pequenos, a incultura, elementos que produziu a crise econômica e institucional que atingiu a grande maioria do povo brasileiro. Sem dinheiro para irrigar os tentáculos do monstro criado pelo PT interceptado pelo belíssimo trabalho do juiz Moro e da Polícia Federal, o povo brasileiro pôde conhecer toda a verdade, as verdadeiras razões da crise que atingiu o Brasil.

Não sabemos o que vai acontecer com o Brasil sob o comando do PMDB. Terá o PMDB tempo, vontade e força para retirar o lixo postado pelo PT que entupiu as veias da nação impedindo que o seu coração, a força do seu povo, impulsionasse o seu desenvolvimento com o motor da dinâmica econômica, a iniciativa privada ao invés de um Estado agigantado, improdutivo e corrupto? Por outro lado, preocupa a convivência com o PSDB no governo devido a triste experiência sofrida com a passagem do governo FHC que abriu as portas da Amazônia às ONGs estrangeiras admitiu a supremacia territorial dos índios, satélites do aparato indigenista americano e inglês, criou uma política ambiental que abraça os interesses do Governo Global, ao qual pertenceu e que esterilizou economicamente a região amazônica através de inúmeras reservas incluindo a reserva legal, nada mais do que um confisco disfarçado, além de um sem número de exigências ambientais absurdas e criminosas que por si só travam o desenvolvimento e favorecem apenas os serviços dos advogados e a corrupção nos órgãos ambientais.

O desafio do PMDB é imenso, em se tratando de um partido que até pouco tempo esteve ao lado do PT tirando vantagens políticas e financeiras. Prestar-se-á, portanto, no pouco tempo que lhe restará condições de efetuar os reparos necessários à política ambiental, colocando o meio ambiente inserido no econômico e não ao contrário para permitir que a iniciativa privada possa realizar os investimentos que se fazem necessários para fazer o Pará e o Brasil crescerem e se livrarem das correntes escravagistas criadas, especialmente no Pará que priorizou o programa de municípios verdes, que é nada vezes nada, é nada, nada mais do que um jardim estéril, um programa masturbatório que nada produz e dificulta o avanço das células produtivas existentes e a criação de novas células. Claro que o desafio do PMDB não se restringe apenas aos interesses da Amazônia e do Pará. A tarefa é gigantesca e difícil considerando o tempo disponível que envolve a tarefa hercúlea de tirar o Brasil do fosso resultante dos problemas brasileiros criados com a má gestão petista. Vamos acompanhar e torcer para que tudo der certo e para que os brasileiros possam começar a ver uma luz no fim do túnel, ter paz e melhor qualidade de vida.

Outra questão que está atravessada na garganta dos brasileiros é o ranço socialista que persegue o Brasil e estimulou o PT a tentar comunizar o país, ideologia tacanha que vem travando o desenvolvimento do Brasil e que precisa ser erradicada do cenário político de uma vez por todas, condição sine qua non para o Brasil voltar a crescer e se aproximar das nações ricas e desenvolvidas.

O desafio é grande, vejamos no que vai dar!
Armando Soares – economista
e-mail: armandoteixeirasoares@gmail.com

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/b50Qb
Sobre o autor
Rodrigo Fraoli - CEO Ruralbook / Designer / Especialista em MKT Digital para o Agronegócio. * Saiba mais em #mktparaoagro - RURALBOOK *

Posts relacionados

Seja o primeiro a comentar