Belém recebe representantes do setor produtivo para a IV CNDA

Acontece no período de 1º a 4 de outubro, a IV Conferência Nacional sobre Defesa Agropecuária – CNDA, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, com o objetivo de discutir a defesa agropecuária como elemento fundamental para a sustentabilidade da agropecuária na região e no Brasil e cujos eixos temáticos serão debatidos através de painéis, mesas redondas, palestras, sessões de pôsteres.

1379366_526134050805978_1126238951_nIntegram a IV CNDA outros três eventos em paralelo, a reunião do Fórum Nacional de Executores da Sanidade Agropecuária (Fonesa); o I Seminário Estadual da Cadeia Produtiva do Açaí; Assembléia da Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária (SBDA) e o Encontro de Mestrados Profissionais em Defesa Agropecuária.

O evento que acontece na região Norte pela primeira vez, traz como tema “Defesa Pecuária e Sustentabilidade” e prevê uma participação de cerca de 1200 pessoas entre representantes do setor produtivo, pesquisadores, estudantes universitários, profissionais e técnicos do segmento.

Para a abertura estão sendo aguardados representantes do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), autoridades a exemplo da senadora Kátia Abreu, governador do Estado, Simão Jatene, deputados federais e estaduais e secretários de governo do setor produtivo.

Participam ainda, superintendentes federais de agricultura, universidades, representantes das 27 agencias de defesa agropecuária do Brasil, do Encontro sobre Fiscalização e Seminário de Agrotóxicos ( Enfisa) e da Sociedade Brasileira de Defesa Agropecuária, que é um dos realizadores do evento. Também confirmaram presença, representantes das federações de agriculturas do Brasil e a Confederação Nacional de Agricutura.
Para organizar um evento dessa envergadura, o governo do estado e demais realizadores investiram na ordem de R$ 1 milhão, a fim de garantir infraestrutura adequada. O Pará foi escolhido como sede após vencer disputa acirrada com os estados do Paraná, São Paulo, Mato Grosso e Rio Grande do Norte.

Com o tema “Defesa Agropecuária e Sustentabilidade”, o evento desponta como um divisor de águas no setor produtivo, um momento para marcar posição nacional no setor agropecuário pautando temas da Amazônia e suas especificidades, frisou o diretor geral da Adepará, Mário Moreira.

Segundo o diretor operacional da Adepará, Sálvio Freire, O evento possui uma envergadura internacional em que vamos debater as diretrizes norteadoras para crescermos economicamente com foco na produção com sustentabilidade voltada para a área de Defesa Agropecuária. “É o momento de deliberarmos e pautarmos as necessidades e especificidades da nossa região”, disse.

A IV CNDA está sendo vista como um marco na história do agronegócio paraense. O titular da Secretaria de Estado de Agricultura (Sagri), Hildegardo Nunes, deixou claro que o setor está em expansão e o evento torna-se uma ferramenta imprescindível para avançar ainda mais, principalmente para abertura de novos mercados. “Uma grande conquista que o Pará obteve por meio da Adepará, principalmente pela mobilização da diretoria que foi fundamental para trazer o evento nacional para o nosso Estado. Vamos ter a oportunidade de pautarmos as nossas demandas e discutir o conselho de sustentabilidade a partir do equilíbrio dos fatores de produção, possibilitando abertura de novos mercados e valorização dos nossos produtos a partir de um sistema de defesa eficiente e confiável”, explicou o secretário.

Para Nunes, debater a defesa agropecuária de forma integrada é de suma importância para a saúde humana e, principalmente uma oportunidade de negócio para além das fronteiras paraenses e brasileiras. “A defesa precisa cada vez mais agir como sistema integrado com a participação de todos os órgãos e municípios, uma rede capaz de garantir não só a qualidade dos produtos que vão para mesa dos brasileiros, como permitir que esses produtos possam entrar em qualquer prateleira no mundo”, reforçou.

Já o presidente da Faepa, Carlos Xavier, analisa o evento como uma oportunidade para mostrar o potencial, a legalidade e qualidade dos produtos paraenses. “O agronegócio paraense tem dado exemplo de competência econômica no Estado, é o que mais emprega, internaliza resultado para o Pará e que tem participado da transformação social da nossa gente. Eu vejo com muita alegria a Conferência no sentido de fazer mostrar capacidade legalidade e sustentabilidade de nossos produtos”, declarou.

Opinião compartilhada pelo titular da SFA, Andrei Castro. “Este é um momento para mostrar o quanto o Pará é importante para o agronegócio brasileiro”, falou. “Vamos mostrar que a nossa realidade é bem diferente do sul do país, em questões como fronteiras internacionais, malhas hidroviárias, entre outras características peculiares que poderemos discutir de forma aprofundada. Assim, percebemos a conferência como um momento ímpar para levantarmos as perguntas certas para crescermos ainda mais”, complementou o chefe de Defesa Agropecuária da SFA, Milton Cunha.

A programação da conferência inclui apresentação de trabalhos científicos; debates sobre os rumos da defesa sanitária nacional; da defesa das fronteiras do Brasil; debate sobres as principais pragas e doenças e sobre quais os rumos para a certificação internacional.

É um grande momento para o Estado que está se credenciando cada vez mais entre os grandes produtores do Brasil. “Esse evento vem coroar um trabalho repleto de êxitos junto a defesa agropecuária de todo o Brasil”, finalizou o diretor geral da Adepará, Mário Moreira.

Transmissão ao vivo aqui no Ruralbook: http://ruralbook.com.br/cnda/

Fonte: Ascom/Adepará – Christina Hayne

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/rbSz8Lr

ruralbook

Rodrigo Fraoli – CEO Ruralbook / Designer / Especialista em MKT Digital para o Agronegócio.

* Saiba mais em #mktparaoagro – RURALBOOK *

Você pode gostar...

Seja o primeiro a comentar