Cacau de Altamira ajuda a abastecer indústria de chocolate da Bahia

Com o apoio do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater) em Altamira, na Transamazônica, 55 famílias do assentamento federal “Ressaca”, desde maio deste ano, têm fornecido cacau para uma indústria baiana que produz chocolate, entre outros derivados. Cerca de 350 toneladas de sementes híbridas beneficiadas por meio de secagem ao sol já foram vendidas, sempre pelo preço do dia da commodity.

www.ufvjm.edu.br“Existem muitas vantagens pro agricultor. A indústria, por exemplo, busca a produção diretamente nas propriedades. Antes, essas famílias gastavam de 30% a 40% do valor da produção só com o transporte até o centro do município”, explica o chefe do escritório local da Emater, o técnico em agropecuária Ademar Silva.

Os agricultores também estão sendo orientados pela Emater, em parceria com a indústria compradora, a melhorar a tecnologia de secagem, agora adotando estufas, que protegem a qualidade sanitária das sementes, sobretudo em relação ao contato com animais domésticos, como gatos, ou com animais de criação comercial nas propriedades, como galinhas.

Um Dia de Campo sobre a atividade será realizado pela Emater no próximo 8 de novembro, no lote de uma agricultora, localizado no Ramal do Pernambuco. O objetivo é despertar o interesse de mais famílias pelo aperfeiçoamento e profissionalização da atividade.

Fonte: Agência Pará

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/rbP4fXG

ruralbook

Rodrigo Fraoli - CEO Ruralbook / Designer / Especialista em MKT Digital para o Agronegócio. * Saiba mais em #mktparaoagro - RURALBOOK *

Você pode gostar...

Seja o primeiro a comentar