Campanha de vacinação contra febre aftosa termina amanhã, 30.

Amanhã, 30 de novembro encerra a segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa no Pará. O período se estendeu por 30 dias e agora o produtor tem mais 15 dias para fazer a notificação da vacinação e declarar junto ao escritório da Agência de Defesa Agropecuária do Pará, a Adepará, a confirmação.

1349144144O estado do Pará foi reconhecido como zona livre de febre aftosa com vacinação, pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e agora busca o reconhecimento internacional. A meta da segunda etapa, que iniciou no dia 1º de novembro, é vacinar 100% do rebanho bovino e bubalino do Estado, que atualmente ocupa a 5ª posição no ranking brasileiro, com 20.510.873 cabeças. A expectativa do Ministério da Agricultura é que, nesta nova etapa, 150 milhões de cabeças sejam vacinadas em todo o país.

Na primeira etapa deste ano, realizada no primeiro semestre, o índice de vacinação no Pará fechou acima de 97%. “A vacinação é a única forma de proteger o rebanho do Estado contra a doença, que causa sérios prejuízos ao mercado, com a diminuição na produção de carne e leite de rebanhos afetados. É extremamente importante que o Pará alcance bons índices de vacinação. A recente certificação demonstra o compromisso dos servidores da instituição e dos produtores rurais em erradicar a febre aftosa”, explicou a fiscal estadual de Defesa Agropecuária, Glaucy dos Santos, da Gerência do Programa de Erradicação da Febre Aftosa.

Quem não vacinar o rebanho sofrerá as penalidades previstas na legislação, como ficar impedido de tirar a Guia de Trânsito Animal (GTA), até que situação seja regularizada, e pagar multa no valor de, no mínimo, R$ 60,00.

A febre aftosa é uma doença altamente contagiosa, que provoca febre e aftas na boca e nos cascos dos animais, prejudicando a locomoção e a alimentação do rebanho. Os animais atingidos pela doença ficam com a produção de leite e carne comprometida, o rebanho perde valor e compromete o comércio municipal, estadual, nacional e internacional de carne, leite e outros derivados. Isso traz prejuízo ao produtor e causa danos econômicos e

A primeira etapa da vacinação em 2013 no Pará atingiu 98,68%

Após a mudança de status sanitário que resultou na certificação concedida, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), ao Pará como estado 100% livre de febre aftosa com vacinação, os esforços para garantir a manutenção desse status já são percebidos a partir dos resultados das etapas de vacinação do primeiro semestre de 2013, que ultrapassou os 98%. “O índice de vacinação superou a expectativa”, disse Mário Moreira, gerente geral da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará.

Com base na meta estabelecida, o Brasil vacinou na 1ª etapa da campanha contra febre aftosa cerca de 166 milhões de cabeças. No Pará, os índices vacinais atingiram na área I, 99,07%; na área II, o nordeste paraense, 98,24%; na área III, o Baixo Amazonas, 97,88% e na zona de proteção (área de fronteira), 100% e, ainda na área III, referente a vacinação da Ilha do Marajó, o índice vacinal atingiu 92,19%. O Estado confirmou uma média total de vacinação na ordem de 98,68%, segundo os dados diretoria Técnica Agropecuária e Florestal, e das gerências da Adepará de Defesa Animal e do Programa Estadual de Erradicação de Febre Aftosa.

O ministro da Agricultura, por ocasião da cerimônia de entrega da certificação do Pará livre de febre aftosa, com vacinação, em Paragominas, no mês de agosto de 2013, confirmou que o Pará possui a maior cobertura vacinal do país, dado que, segundo ele, certamente é fruto da consciência de produtores, governo do Estado e governo federal.

Fonte: Ascom Adepará

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/rbChImE

ruralbook

Rodrigo Fraoli – CEO Ruralbook / Designer / Especialista em MKT Digital para o Agronegócio.

* Saiba mais em #mktparaoagro – RURALBOOK *

Você pode gostar...

Seja o primeiro a comentar