Contratação de crédito rural no Brasil cresce 30% na safra 2019/2020, a R$ 225 bilhões

Produtores usaram maior parte do recurso para gastos de custeio (R$ 107,48 bilhões) e investimentos (R$ 50,36 bilhões).


Safra em Mato Grosso — Foto: Assessoria

Safra em Mato Grosso — Foto: Assessoria

A contratação de crédito rural pelos produtores brasileiros chegou a R$ 225 bilhões na safra 2019/2020, encerrada em junho deste ano, aumento de 30% em relação à temporada anterior, informou o Ministério da Agricultura na noite de quarta-feira (9).

Os desembolso pelo Plano Safra 2019/20 alcançou R$ 191,8 bilhões, avanço de 11%. Os R$ 33,3 bilhões restantes referem-se a recursos que tiveram como fonte Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs), aquisições de Cédulas de Produto Rural (CPRs) e operações com agroindústrias.

A pasta esclareceu que, embora previstos anualmente no Plano Safra, os valores da LCA passaram a ser contabilizados desde o mês passado no Sistema de Operações de Crédito Rural e do Proagro (Sicor) do Banco Central.

Custeio e investimento

Do total aplicado no consolidado dos 12 meses, R$ 107,48 bilhões foram destinados ao custeio (+9%), ou seja, para a manutenção da produção. Outros R$ 50,36 bilhões foram para investimentos (+19%) e R$ 10,9 bilhões para industrialização (+59%).

Já os financiamentos para comercialização tiveram redução de 10% em relação à safra anterior, para R$ 23,05 bilhões, disse o ministério.

“Apesar da pandemia do coronavírus, as contratações de crédito rural continuaram aumentando ao longo de 2020 até junho, final da safra 2019/20”, comentou em nota o diretor de Crédito e Informação da pasta, Wilson Vaz de Araújo.

Nos financiamentos de custeio, a participação do Programa de Apoio ao Médio Produtor (Pronamp) foi de 24%, totalizando R$ 25,8 bilhões.

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) respondeu por 13% do custeio, com R$ 13,87 bilhões, enquanto os demais produtores representaram 64%, com R$ 68,32 bilhões.

No que se refere ao total dos financiamentos de investimento, a participação do Pronamp foi de 5,3%, com 2,65 bilhões de reais, a do Pronaf alcançou 26,5%, com 13,35 bilhões e a dos demais produtores 68,2%, em 34,35 bilhões.

Fonte: G1

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-6b2

Você pode gostar...