Embrapa analisa teores de sólidos para concursos leiteiros – Embrapa

Composição do leite é responsável pelo rendimento de derivados lácteos nas indústrias e indica a necessidade de controle leiteiro de vacas em lactação pelo produtor.
Animal premiado em 1º lugar na categoria Jovem, que produziu quase 9k de teores sólidos no Concurso Leiteiro de Teores Sólidos, realizado na Fenasul. (Foto: Divulgação)

Animal premiado em 1º lugar na categoria Jovem, que produziu quase 9k de teores sólidos no Concurso Leiteiro de Teores Sólidos, realizado na Fenasul. (Foto: Divulgação)

Há cerca de 10 anos a Embrapa Clima Temperado (Pelotas,RS) vem realizando análises de teores de sólidos do leite para concursos leiteiros de sólidos como uma forma de valorizar a qualidade do produto. Mais do que volume de produção do leite, os teores elevados  de sólidos na composição são garantia de maior rentabilidade para o produtor e maior rendimento para indústria. Toda a porção de leite possui 88,6% de água e, no mínimo, 11,4% de sólidos totais, os quais são os responsáveis pela elaboração de todos os produtos lácteos disponíveis no mercado. A qualidade do leite está diretamente ligada a quantidade encontrada de sólidos no produto.

Os concursos de teores de sólidos são uma estratégia para resgatar essa qualidade e mostrar o potencial do alimento do bovino leiteiro.  A pesquisadora Maira Zanela, da área de qualidade do leite, fala que a partir dos concursos se premiam animais com teores elevados de sólidos e esses resultados são a fonte de produção de derivados de lácteos como leite em pó, queijo (proteína do leite), manteiga e creme de leite (gordura do leite), por exemplo. “Uma vaca campeã tem condições de chegar a produzir de 7 a 8 kilos de sólidos num único dia”, destaca.
A Embrapa já realizou nove concursos de teores de sólidos no leite em parceria com a Associação de Criadores de Gado Jersey do Rio Grande do Sul  e também ações junto a Associação dos Criadores de Gado Holandês (Gadolando), por meio do Laboratório de Qualidade do Leite, o Lableite, credenciado à Rede Brasileira de Qualidade do Leite (RBQL). A pesquisadora explica que as análises são encaminhadas através de frascos adequados com conservantes, coletados durante a ordenha dos animais durante os concursos. “Os frascos trazem uma alíquota do leite, que é analisada por infravermelho, onde se tem o resultado da composição desse leite e é o que determina os teores de sólidos”, explica Maira. A avaliação é feita pelo Lableite em animais individuais para o controle leiteiro e também para o controle de rebanho, que são análises descritas pela Instrução Normativa 62.
Como a unidade de pesquisas vem atuando nesta atividade ao longo de um tempo, elaborou em conjunto com as associações de raça um regulamento para a realização dos concursos de sólidos.  Podem participar os animais aprovados nos exames de admissão e que estejam participando do Concurso Leiteiro da Exposição. Os animais são divididos em duas categorias:  Vaca Jovem: menos de 36 meses de idade; Vaca Adulta: 36 meses de idade ou acima. As categorias podem sofrer alteração conforme modificação no regulamento de Exposições das raças. A ordenha dos animais e coleta do leite  é  realizada conforme as normas do concurso leiteiro oficial,  podendo ser utilizadas duas ou três ordenhas diárias. As amostras são coletadas, logo após a pesagem do leite, nas ordenhas do concurso leiteiro em 24 horas.
Concurso da Expoleite/Fenasul
No último final de semana foi realizado o Concurso Leiteiro de Sólidos da 39ª Expoleite e 12ª Fenasul, em Esteio/RS, com possibilidade de serem reconhecidas as vacas com maiores teores de sólidos da Exposição e incentivar o controle leiteiro  das vacas em lactação. As amostras foram coletadas por técnicos da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), transportadas pelo Departamento de Defesa Agropecuária da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Irrigação do Estado (Seapi) e entregues para análises no Lableite da Embrapa. A iniciativa desse Concurso partiu da Seapi e contou com o patrocínio do Sindicato da Indústria de Laticínios e Produtos Derivados do RS (Sindilat) ao instituir uma premiação em dinheiro no valor total de 10 mil reais, dividido entre os três primeiros lugares nas duas categorias de participação.
Os animais que se classificaram entre as primeiras colocações receberam laudo técnico emitido pelo Lableite, sendo possível identificar uma vaca adulta que produziu próximo a 8,8k de sólidos/dia; e uma vaca jovem, com 7,7 k/dia. Para a pesquisadora Maira os concursos sinalizam o potencial de retorno de investimento do produtor, quando a opção recai sobre o gado leiteiro. “Enquanto um animal de corte o máximo de ganho de peso ao dia é de 1,5 a 2,0 kg, o do bovino leiteiro pode resultar, como nestes dados finais desse concurso de teores sólidos, um rendimento entre 8 e 9kg/dia”, ressalta. E ainda, ela destaca que há considerações importantes entre as raças leiteiras produzidas e escolhidas, como a Jersey, que alcançar até 50 L/dia em volume e a holandês, entre 65-75L.
A importância dos teores de sólidos
Os teores de sólidos no leite são toda a fração sólida. “É tudo, menos a água”, diz Maira. Ela completa: “Em 1 litro de leite se encontra entre 11 a 14% de sólidos, o equivalente entre 110 e 140 gramas. O sólido corresponde a proteína, a gordura, a lactose (açúcar) e as vitaminas e minerais do leite”, explica.
A gordura é fonte de energia,  é de fácil digestão e possui ácidos graxos essenciais, que auxiliam no sistema imunológico; contém ácido linoleico conjugado (CLA), que melhora a mineralização óssea, tem ação antioxidante e anticancerígena e auxilia na redução do colesterol ruim;  a proteína é de elevada qualidade, contém aminoácidos que melhoram no crescimento e na manutenção da saúde, aumenta a sensação de bem estar, possui ação anti-infecciosa; a lactose é também fonte de energia e auxilia na manutenção da flora intestinal, melhora a absorção de cálcio; enquanto a composição de minerais contidas no leite são importantes para formação de dentes e ossos e para prevenção de osteoporose, a presença de cálcio e fósforo são evidentes, e ainda, possui uma fonte de vitaminas A, D, E, K, B1 e B2.
As recomendações diárias de consumo de leite ao dia, ou derivados lácteos, é até 650ml/ dia para crianças; até 1200ml/dia para jovens; até 1000ml/dia para adultos e idosos.
Em algumas situações os animais podem apresentar baixos teores de sólidos, mas a Instrução Normativa 62 exige um mínimo de produção de teores de sólidos no leite de rebanhos, que é estabelecido no mínimo de 11,4%, que compreende 8,4% de sólidos desengordurados, mais 3% de teor de gordura. Mas, caso se queira elevar esses teores de sólidos, muitos são os fatores no manejo de produção de rebanho que precisam ser cuidados: “A raça Jersey produz teores de sólidos mais elevados naturalmente, por exemplo. A questão nutricional é importante  por que necessitam serem atendidas as exigências de energia e proteína na alimentação dos animais, além é claro da sanidade, onde o rebanho precisa estar saudável, sem problemas de mastite”, diz a pesquisadora.
Produtor pode alcançar teores de sólido
O Dia de Campo do Leite, em comemoração aos 20 anos do Sistema de Desenvolvimento e Pesquisa em Pecuária Leiteira (Sispel), está programado para ocorrer no dia 15 de setembro, voltado aos produtores para mostrar as tecnologias possíveis para que se tenha um nível de teores de sólidos elevados no leite, as questões genéticas e nutricionais e as boas práticas agropecuárias para obtenção de teores exigidos pelos parâmetros legais de comercialização do leite. “Isso traz um bonificação melhor pelo preço do leite ao produtor, assim como, para toda a cadeia produtiva,  melhorando o rendimento dos derivados e a qualidade do produto final para o consumidor”, analisa.
+ Concurso de Sólidos Fenasul 2016
Categoria Jovem
1° lugar – Vaca  Judde, da cabanha Rottili Rodrigues, com 60,45 kg de leite e 7,74 kg/vaca/dia em produção de sólidos;
Categoria Adulta
1ºlugar – Dalia Gilioto 567, da cabanha Gilioto, com 64,51kg de produção de leite e 8,85 kg/dia/vaca em produção de sólidos;
+ Concursos de Sólidos com a participação da Embrapa
Expointer  ( de 2012 a 2015);
Fenasul (2014);
Expoutono (2013);
Expofeira de Bagé (2013);
Expofeira de Pelotas (2013 e 2014);

Cristiane Betemps (MTb 7418-RS)
Embrapa Clima Temperado

Fonte: Embrapa

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/T9YMr

Você pode gostar...

Seja o primeiro a comentar