Governo incentiva a produção de queijo e iogurte artesanal em Vigia – Agência Pará

O URL curto do presente artigo é: https://wp.me/p49eYW-2NK

O município de Vigia, localizado no nordeste paraense, conhecido por sua famosa produção de pescado, em breve também ganhará destaque pela produção de laticínios, principalmente de iogurtes e queijos. A Cooperativa Agropecuária do Salgado Paraense (Casp), localizada no km 36 da rodovia PA-140, é a responsável por colocar estes produtos, literalmente na rota do município.

77262_241601

Foto: Agência Pará

O empreendimento possui o acompanhamento técnico da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater), apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e o incentivo da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), que contribuiu para a adequação dos produtos que agora possuem rótulos padronizados e podem ser comercializados em qualquer lugar do Pará.

A Casp existe há mais de cinco anos e sempre esteve focada na produção de frutas e hortaliças, que até hoje representa o maior faturamento da cooperativa. No entanto, em 2013, os cooperados decidiram investir na venda de iogurtes e queijos que eram feitos de maneira artesanal e comercializados na beira da estrada. Eles criaram uma pequena indústria e começaram a produzir a sua própria linha de derivados do leite. No ano passado, a cooperativa, assim como diversos empreendimentos classificados como “artesanais” foram visitados por técnicos da Adepará, que avaliaram e indicaram quais adequações deveriam ser feitas para que estes produtos pudessem ser legalmente comercializados.

“Nós tivemos o primeiro contato com a Casp em 2012 durante o nosso mapeamento de atividades no interior. O resultado deste acompanhamento foi a adequação da produção dos iogurtes, que antes eram feitos de forma rudimentar e hoje estão padronizados conforme a legislação. Hoje, eles são um exemplo dentro desta cadeia produtiva artesanal de laticínios”, explica Patrícia Marinho, responsável pela gerência de produtos artesanais de origem animal da Adepará.

O foco da gerência de produtos artesanais de origem animal é mapear estes empreendimentos e principalmente tirar o pequeno produtor rural da clandestinidade. Quando o produtor se legaliza, diversas oportunidades se abrem, não apenas de comercialização, mas através de financiamentos estaduais e federais, além de linhas de créditos específicas para estas modalidades.  Além disso, a cooperativa pode oferecer uma mercadoria com certificação e segurança alimentar.

O rótulo possui o número de registro do órgão regulador, informações nutricionais, origem, data de validade e outros dados técnicos importantes para o consumidor e empresas. Logo após os iogurtes, a Casp conseguiu, em agosto de 2016, o rótulo e autorização para a comercialização de queijos tipo coalho, ricota e ricota temperada. Luiz Eduardo Villas Boas e Luiz Ciarini, presidente e diretor de produção da cooperativa, respectivamente, comemoram a certificação que garantirá a expansão da produção. Atualmente, a Casp tem 110 cooperados.

Fonte: Agência Pará

Foto: Agência Pará

Além de expandir a produção, o alimento já está inserido na merenda escolar dos municípios de Vigia, Colares, São Caetano de Odivelas e Castanhal por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Frutas, hortaliças e iogurtes estão no cardápio de fornecimento, e em breve também entrarão os queijos. “Hoje fabricamos uma média de 200 litros de iogurte por dia e 150 quilos de queijo por mês, que agora são embalados a vácuo, seguindo as normas obrigatórias. Temos melhorado a nossa produção com a ajuda de uma consultoria técnica para usarmos cada vez melhor o leite que é produzido aqui mesmo em Vigia. Agora estamos nos preparando para aumentar a fábrica e atender mais municípios aqui na região. Sem dúvidas somos muito gratos por todo acompanhamento que a Emater e a Adepará tem nos dado nesse processo”, explica Luiz Ciarini.

A Emater acompanha a cooperativa desde o seu primeiro formato, quando era voltada apenas para o cultivo e comercialização de frutas e hortaliças, no final dos anos 90. Há cinco anos, a cooperativa mudou de nome e ampliou sua variedade de produtos, quando decidiu investir no leite da própria região. Neste processo, a Emater foi a responsável pela assessoria técnica tanto da produção da hortifruticultura quanto da produção adequada do leite gerando os resultados positivos que podem ser vistos agora.

“A certificação dos derivados de leite da Casp fará com que a cooperativa atraia mais produtores, que serão preparados pela Emater para melhorar e aumentar o círculo de produção de leite. Existem vários pequenos produtores espalhados que representam um grande potencial na região e darão ainda mais força na participação da cooperativa em programa como o PNAE ou mesmo no mercado”, explica Alexandre Galvão, coordenador geral de operações da Emater Central.

Além da sede da cooperativa, localizada no KM 36 da rodovia PA-140, os produtos podem ser encontrados em Belém, durante a feira do produtor rural, que ocorre sempre todo o primeiro sábado do mês na Centrais de Abastecimento do Pará (Ceasa), onde estarão presentes também diversos agricultores familiares com produções de orgânicos assessoradas pela Emater.

Por Diego Andrade

Fonte: Agência Pará

Banner rodapé fornecedor

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: https://wp.me/p49eYW-2NK

Você pode gostar...