Info Modalidades – SULKY E O CAVALO AMERICAN TROTTER

VOCÊ CONHECE O SULKY E O CAVALO AMERICAN TROTTER?

Conhecida popularmente como sulky, uma modalidade equestre que nos remete às famosas corridas de bigas da Grécia Antiga, a corrida de cavalos de trote teve seu auge entre 1960 e 1980 no Brasil, na Vila Guilherme, um bairro da capital paulista com a Sociedade Paulista de Trote onde, além das apostas, o hipódromo era palco de muitos eventos culturais e bailes que a elite daquela época frequentava. Devido a uma desapropriação em 2005 a modalidade perdeu forças e tenta ressurgir, hoje, com associados e alguns milhares de criadores apaixonados pelo esporte.

Fonte: Acervo/Estadão

O sulky, nessa modalidade, é a penas uma parte do equipamento da corrida de cavalos de trote, ou seja, é uma espécie de charrete muito leve feita de forma que suporte o peso do jockey e não atrapalhe a performance do animal. Sendo assim, o material usado é o alumínio, pois é leve e ao mesmo tempo resistente. Além disso, temos como equipamentos a farda do stud, capacete e óculos. Diferentemente do turfe, nessa corrida, o jockey é puxado por um cavalo da raça Standardbred, mais conhecida no país como American Trotter. A raça teria sido originada há aproximadamente 200 anos de um cavalo Puro Sangue Inglês chamado Messenger importado para os EUA da Grã-Betanha, mas essa raça veio sendo melhorada com sangue de Trotador Canadense e Trotador Inglês, Morgan, Berbere e outras mais. As características principais da raça são os produtos: animais trotadores (trotters) que movem as patas em pares diagonais e os andadores (pacers) que as movem aos pares lateralmente. Essa versatilidade dentro da raça se dá através de uma mutação no gene DMRT3 que é relacionado à medula espinhal e à coordenação dos movimentos do animal. Os andadores rendem mais, mas são menos instáveis ao contrário dos trotadores que são bem estáveis. Desta forma, nos EUA, estas duas modalidades de andamento são divididas.

Fonte: Pinterest

O corpo longo, ombros fortes que auxiliam nas passadas longas e o pescoço levemente arqueado fazem com que estes animais sejam exímios velocistas apesar de não apresentarem uma harmoniosa morfologia. Juntamente com todas essas qualidades do cavalo trotador americano o indivíduo a ser puxado deve ser, assim como no turfe, muito leve melhorando ainda mais a performance nas disputas.

A modalidade hoje descrita, que já teve seus anos dourados como já foi dito, vem ressurgindo em todo país com novos associados, criadores e principalmente com um público que se apaixona cada vez mais pelo esporte, impulsionando ainda mais seu crescimento no Brasil.

 

REFERÊNCIAS

Acervo/Estadão. Fotos históricas: corrida de trote. Disponível em: <http://acervo.estadao.com.br/noticias/acervo,fotos-historicas-corrida-de-trote,11459,0.htm>. Acesso em: 17/01/18

Cavalos do Sul. American Trotter, a raça por trás do nome. Disponível em: http://www.cavalosdosul.com.br/artigo/american-trotter-a-raca-por-tras-do-nome>. Acesso em: 17/01/18

Livresportes. Corrida de cavalo trotador renasce em São Paulo. Disponível em: http://www.livresportes.com.br/reportagem/corrida-de-cavalo-trotador-renasce-em-sao-paulo>. Acesso em: 15/02/18

Trotto Brasil. Corrida de trote (TROTTO). Disponível em: <http://trottobrasil.blogspot.com.br/>. Acesso em: 10/02/18

Fonte: Informativo Equestre

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-4Kr

Você pode gostar...