Integração em pesquisas fortalece medidas para melhorar qualidade da água em bacias hidrográficas – Embrapa

A qualidade da água em bacias agrícolas será tema de debate durante a 24ª edição do Agrinordeste, de 24 a 26 de agosto, no Centro de Convenções de Pernambuco, PE.

Rio Jaguari (Foto: Ricardo Figueiredo)

Rio Jaguari
(Foto: Ricardo Figueiredo)

Conforme o pesquisador da Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) Ricardo Figueiredo, “a qualidade da água fluvial tem sido afetada pela entrada de sedimentos e de elementos biogeoquímicos dissolvidos, tanto os de origem natural,  pelo desequilíbrio ambiental, como os de origem antrópica decorrentes do uso de agroquímicos”. Para ele, o enfrentamento desse fato requer respostas efetivas dos setores produtivo e governamental. “Soluções existem, mas precisam ser adotadas com urgência, pois de outro modo a crise hídrica até aqui experimentada tomará uma magnitude sem precedentes na nossa história”, alerta.

Pesquisas sobre qualidade da água em bacias hidrográficas de uso agrícola enfrentam frequentemente outros desafios, além dos técnicos, como a falta e dispersão das informações sobre os diversos aspectos inerentes à caracterização ambiental destas bacias.

“Temos exemplos em países desenvolvidos que precisariam ser imitados em nossa nação para a formação dos bancos de dados necessários para tais pesquisas. O tema exige também um tratamento interdisciplinar envolvendo várias áreas do conhecimento. Outro ponto importante seria uma avaliação científica de médio a longo prazos do ambiente em diferentes tamanhos de bacias, dependendo da questão que se pretende abordar”, explica Figueiredo.

O pesquisador acredita que a integração de equipes, e muitas vezes, de instituições é indispensável para o sucesso dessas pesquisas. “No entanto, muitos estudos desenvolvidos em nossa nação já diagnosticaram a necessidade de se buscar uma gestão no uso da terras e, no caso das bacias agrícolas, sistemas de produção mais sustentáveis. Temos cursos d’água com problemas de regulação de vazões que já não atendem as demandas da sociedade e a saúde do ecossistema está afetada”, enfatiza.

O Agrinordese é realizado pelo Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco – Faepe, com o apoio do Sebrae, Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária – Sara, Senar-AR/PE e BNB. Completa 24 anos, trazendo informações relevantes para os que fazem o agronegócio na região, com painéis sobre apicultura, atualidades, bovinocultura de leite, caprinovinocultura, fruticultura, meio ambiente, recursos hídricos e turismo rural, com um total de 70 palestras.

A programação completa e informações sobre inscrições podem ser acessadas em http://www.agrinordeste.com.br/
 

 

Cristina Tordin (MTB 28499)
Embrapa Meio Ambiente

Fonte: Embrapa

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-2xb

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Validar Operação * O limite de tempo está esgotado. Por favor, recarregue o CAPTCHA.

×