Municípios do Marajó vão passar a investir na cultura de soja

A área do cultivo de soja será ampliada no Pará em 2014. Em novembro deste ano, uma nova portaria será publicada visando à medida. A expectativa, segundo a fiscal agropecuária Alice Alves Thomaz, coordenadora do Programa Estadual da Cultura da Soja, é que os municípios de Cachoeira do Arari e Salvaterra, na Ilha do Marajó, também comecem a trabalhar a cultura.

sojaPor conta da ampliação do cultivo da soja no Pará, houve uma republicação da Portaria 821/ 2011, que especifica e informa acerca do vazio da soja e sua respectiva área de cumprimento a partir das identificações das microrregiões que recebem o plantio. As microrregiões de Santarém; Itaituba, que inclui os municípios de Rurópolis e Trairão; Altamira, com exceção do distrito de Castelo dos Sonhos, e Paragominas, zona Bragantina e Guamá, no nordeste paraense, têm em parte de suas terras a economia voltada para o semeio da soja.

A fronteira sul do Pará, que tem como destaque os municípios de Redenção, Santana do Araguaia e Conceição do Araguaia no plantio da soja, já é a mais promissora do Estado. Na safra de 2013, novas regiões estão tendo o foco para o plantio da soja a partir de microrregiões nos municípios de Tailândia e de Abaetetuba.

O Pará confirmou-se, em 2011, como o 14º produtor de soja no Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Estado foi o 12º a instituir o vazio sanitário, em 2008. O Estado está dividido em três polos de soja, nos municípios de Paragominas, Santarém e Redenção e suas respectivas microrregiões, que, juntas, foram responsáveis pela produção de 317.093 mil toneladas de soja em grãos, em uma lavoura cultivada de 106.018 hectares.

O cultivo da soja no Pará destaca as microrregiões de Paragominas e Santarém como a primeira e segunda maiores produtoras com, respectivamente, 62% e 25% da produção do Estado, mas Paragominas é o maior produtor de soja no Estado, seguido de Santarém.

O polo de Redenção inclui as microrregiões de Conceição do Araguaia, Santana do Araguaia, Floresta do Araguaia, Santa Maria das Barreiras e Rondon do Pará. A microrregião de Santana do Araguaia destaca-se com uma área plantada de sete mil hectares e uma produção de 23,1 mil toneladas de soja plantada; a microrregião de Santa Maria das Barreiras, com 3,3 mil hectares confirmou uma produção superior a nove mil toneladas em 2011, e Conceição do Araguaia, em sete mil hectares de área plantada, atingiu uma produção superior a 23 mil toneladas de soja produzida. O sul do Pará hoje tem uma produção superior e é tida como a nova fronteira da soja no Brasil.

Fonte: Agência Pará

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/rbTfZup

ruralbook

Rodrigo Fraoli – CEO Ruralbook / Designer / Especialista em MKT Digital para o Agronegócio.

* Saiba mais em #mktparaoagro – RURALBOOK *

Você pode gostar...

Seja o primeiro a comentar