Na ONU, ministro ressalta a importância da agricultura no enfrentamento da fome

Durante o ano de 2014, representantes do governo e da sociedade civil de todo o mundo intensificarão os debates sobre a importância da agricultura familiar para promoção da segurança alimentar. As discussões sobre o tema ocorrerão no âmbito do Ano Internacional da Agricultura Familiar (AIAF 2014), instituído pelas Organizações das Nações Unidas (ONU). Na avaliação do ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Pepe Vargas, a abordagem oferecerá uma grande oportunidade para consolidar o papel desse setor no desenvolvimento sustentável dos países.

1463152_520339301395808_534271730_n“Para nós, o Ano Internacional da Agricultura Familiar já começou e queremos intensificar os trabalhos de organização das suas atividades para que ele não seja apenas uma data comemorativa, mas um momento de ampliação e reconhecimento da agricultura familiar como parte constitutiva do desenvolvimento dos nossos países e, com isso, construir e aperfeiçoar as políticas necessárias para o fortalecimento dos agricultores familiares e de suas organizações políticas e econômicas”, afirmou Pepe Vargas na cerimônia oficial de lançamento do AIAF, nos Estados Unidos, no último dia 22.

Ainda em seu discurso, o ministro ressaltou as políticas públicas que conciliam a oferta de segurança alimentar e nutricional para as populações em situação de vulnerabilidade social, com o fomento à agricultura familiar. “Felizmente, estamos superando a ideia de que bastam os mecanismos de mercado e livre comércio internacional, para dar conta dos enormes desafios de alimentar milhões de pessoas em situação de fragilidade econômica e social. O mercado é importante e o comércio internacional é decisivo para suprir as necessidades de uma população que continua crescendo. (…) Mas, por mais importantes que sejam o mercado e o comércio internacional, a oferta de políticas públicas de crédito, seguro agrícola, garantia de preços, assistência técnica e extensão rural, acesso às compras governamentais, entre outros instrumentos, é decisiva para garantir o desenvolvimento da agricultura familiar”, ponderou.

“O nosso país, desde 2003, em um rico processo de participação social, a partir do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, construiu essa estratégia de via dupla, por meio de compras governamentais de alimentos por agricultores familiares para a alimentação escolar e para doação à rede de assistência social”, referindo-se ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) e Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

A definição conjunta de conceitos prioritários para o encaminhamento de programas e ações mundiais – como a definição do termo “agricultura familiar”- também foi citada como um avanço que facilitará o desenvolvimento dos debates no AIAF. “O Brasil sente orgulho de participar da construção desses conceitos e referências, a partir dos nossos fóruns multilaterais. Fóruns que contam com a participação dos governos e da sociedade, a exemplo do Conselho de Segurança Alimentar da FAO [Organização das Nações Unidas pela Alimentação e Agricultura]. (…) Reafirmamos nosso compromisso com esse processo e com a organização das atividades do Ano Internacional da Agricultura Familiar”.

Fonte: Portal do Ministério do Desenvolvimento Agrário

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/rb0E5cX

ruralbook

Rodrigo Fraoli - CEO Ruralbook / Designer / Especialista em MKT Digital para o Agronegócio. * Saiba mais em #mktparaoagro - RURALBOOK *

Você pode gostar...

Seja o primeiro a comentar