O Boi 777

Foto: Scot Consultoria

O sistema de produção de bovinos de corte, apelidado de Boi 777, desenvolvido pelos profissionais da APTA – Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, de Colina-SP, é encantador pela simplicidade e pelo poder de transmitir conceitos fundamentais.

Os pesquisadores, Flávio Dutra e Gustavo Resende e sua talentosa equipe, são os responsáveis por tornar a antiga coudelaria paulista o berço do Boi 777.

O sistema tem por objetivo ter um boi de 21@ em dois anos, uma revolução. Essa revolução transbordou as fronteiras paulistas atraindo interessados de todo o Brasil, tornando a APTA protagonista de uma história de sucesso.

A transmissão do resultado da pesquisa, para o fazendeiro, para o homem do campo, numa linguagem simples e direta, e também para os técnicos e empresas privadas, resultou no sucesso do conceito 777. Independentemente dos resultados individuais dos que adotaram a ideia do Boi 777, de produzir com método e metas, o conjunto de atividades de pesquisa e de treinamento desenvolvida pela APTA de Colina, traduz o empenho desse time de profissionais em divulgar o conhecimento.

Vale a ressalva que produtores que antes não tinham procedimentos de gestão, com a adoção da tecnologia do Boi 777 perceberam a necessidade de planejamento e mudanças de hábitos de manejo na propriedade. Um progresso. Afinal é preciso disciplina para ter ganhos de 7@ na desmama, 7@ na recria e 7@ na engorda.

A pecuária de corte está em um processo contínuo de evolução e ter acesso às novas tecnologias é fundamental para o produtor rural e para o progresso da pecuária paulista e brasileira.

Diante disso a pesquisa, a extensão e a difusão de tecnologia são importantes, pois aumentam a chance de sucesso na atividade. Com maior número de produtores tendo sucesso, mais dinheiro circula entre todos os setores da cadeia e promovem o desenvolvimento da pecuária nacional.

Promover e amparar as instituições de pesquisa que realizam um trabalho profissional é promover, no caso da APTA de Colina, a pecuária.

É fato que ainda há um grande intervalo tecnológico na pecuária de corte para ser explorado, mas graças a instituições como a da APTA esse intervalo tende a diminuir.

De 1980 até 2018 a produção de carnes no Brasil aumentou significativamente (201,4% a carne bovina, 332,4% a carne suína e 970% a carne de frango, segundo da dos do Departamento de Agricultura dos estados Unidos – USDA).

O consumo de carnes, nesse mesmo período, também teve significativo aumento, veja só, em 1980 o consumo per capitaera de 42,92kg de carnes (bovina, suína e de frango), em 2018 o USDA estimou o consumo per capita em cerca de 100kg, ou seja, aumento de 133,1%.

Esse aumento de produção foi possível devido ao aumento do uso de tecnologias que foram adotadas ao longo dos anos, assim como o Boi 777.

Por fim, a qualidade da carcaça, através do conceito do Boi 777 ajuda o meio ambiente, pois o bovino é abatido em menor espaço de tempo e, período de terminação mais curtos traz benefício para o sistema, através da redução do metano emitido por quilograma de carne produzida.

Fonte: Equipe Scot Consultoria

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-5jT

Você pode gostar...