WhatsApp - 94.99148.2775

Pará é reconhecido como estado livre de febre aftosa com vacinação

18/08/2013 11h46 – Atualizado em 18/08/2013 13h200,,69770693,00

Estado possui o quinto maior rebanho do país, com 19 milhões de cabeças.
Portaria que oficializa certificação foi assinada neste domingo, 18.

1 comentário
Produtores rurais devem adquirir a vacina para imunizar o rebanho (Foto: Lenito Abreu/Ascom Adapec)Pará possui o quinto maior rebanho do país, com 19 milhões de cabeças de gado (Foto: Lenito Abreu/Ascom Adapec)

O Pará foi declarado estado livre da febre aftosa com vacinação na manhã deste domingo (18), durante a 47ª Feira Agropecuária de Paragominas, no sudeste paraense. A portaria que oficializa a certificação foi assinada pelo ministro da Agricultura, Antônio Andrade, no evento que contou ainda com a presença do governador do Pará, Simão Jatene, de secretários, políticos e representantes do setor produtivo.

O estado tem o quinto rebanho do país, com 19 milhões de cabeças, ficando atrás dos estados de Mato Grosso, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul. Desde 2000, o governo vem lutando contra a aftosa no estado. A criação da Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará), em 2002, também foi decisiva no combate à doença, pois intensificou a fiscalização sobre a vacinação do rebanho. Atualmente, a agência está entre as dez melhores na defesa agropecuária do Brasil.
saiba mais

Ministro da Agricultura anuncia mais oito estados livres da febre aftosa

“A qualidade da defesa agropecuária do Estado reflete na economia e na abertura de novos mercados, interno e externo. Em 2012, o total de bovinos e bubalinos exportados vivos foi de 388.188. Com o reconhecimento nacional de status livre de aftosa com vacinação, esse cenário tende a melhorar”, avalia o diretor geral da Adepará, Mário Moreira.

Uma das prioridades do governo no segmento é acabar com o abate clandestino de carne no estado, meta que deve ser alcançada com a decisão do governo estadual de construir 36 novos abatedouros em diversas cidades, até o fim de 2014. O investimento é estimado em cerca de R$ 24 milhões.

Para garantir a implantação desses matadouros, de baixo custo, para os municípios, com capacidade de abate de 20 a 50 cabeças diárias, a Adepará está orientando as prefeituras a garantir a implantação do Serviço de Inspeção Municipal (SIM), que passa pela criação e aprovação da lei municipal de inspeção.
tópicos:

Paragominas

Do G1 PA

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/rbYbScp
Sobre o autor

Seja o primeiro a comentar