Pará fecha o ano com recorde de abates bovinos

Foram abatidas no ano passado 2,17 milhões de cabeças de bovinos no Pará, com aumento de 4,7% em relação a 2011 e nova marca recorde na série histórica do abate de bovinos por ano. O recorde anterior – desde 1997 quando a Pesquisa Trimestral de Abate de Animais foi iniciada – havia sido alcançado em 2011, quando foram abatidas 2,079 milhões de cabeças de bovinos. No ranking nacional, é atualmente o sexto maior rebanho. Os dados são da Pesquisa Trimestral de Abate de Animais, divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em todo o País, também foi verificado um novo recorde, com 31,118 milhões de cabeças de bovinos abatidas – aumento de 8,0% em relação a 2011. Segundo o IBGE, a redução nos preços nacional e internacional e o aumento das exportações de carne bovina contribuíram para o aumento da oferta desse produto.

Google Images

Google Images

A pesquisa avalia também o desempenho no 4° trimestre de 2012, onde foram abatidas 566,15 mil cabeças de bovinos no Estado do Pará, representando um aumento de 5,6% frente ao mesmo período de 2011. Pela pesquisa, o aumento foi constatado em quase todos os Estados brasileiros, o que apontou um recorde histórico de 8,18 milhões de cabeças abatidas de bovinos, superando a marca de 7,95 milhões de cabeças, do primeiro trimestre de 2007. A variação nacional no 4º trimestre do ano passado foi 11,1% superior a do ano passado.

A frente do Pará no ranking de abates bovinos nos últimos três meses de 2012, aparecem somente Mato Grosso (1,32 milhão de cabeças), Mato Grosso do Sul (1,01 milhão), São Paulo (913,83 mil), Goiás (735,59 mil) e Minas Gerais (674,43 mil). No entanto, a maior variação positiva entre os dois trimestres foi indicada na Paraíba, da ordem de 29,2%. Já a quantidade geral de bovinos abatidos, apontada ao fim do ano, foi de 5,01 milhões em Mato Grosso, 3,98 milhões no Mato Grosso do Sul, 3,34 milhões em São Paulo, 2,70 milhões em Goiás e 2,48 milhões em Minas Gerais.

Em compensação, a quantidade de carne bovina in natura exportada pelo Pará sofreu um decréscimo de 2,1% entre os dois 4º trimestres de 2011 e 2012. A variação deixou o Estado na oitava posição do ranking nacional. No Brasil a quantidade de exportações de carne bovina in natura passou de 210,34 milhões para 267,01 milhões de quilos – um aumento de 26,9%. São Paulo foi o maior destaque, com 75,39 milhões de quilos exportados.

Também foram abatidas 8,27 mil cabeças de suínos no Pará em 2012, o que indicou uma queda de 6,9% em relação ao ano anterior. Em 2011, foram 8,88 mil. Na análise do 4º trimestre dos últimos dois anos, a redução foi quase o dobro (14,3%). Foram abatidos 2,44 mil suínos em 2011 e 2,09 mil em 2012. No acumulado de 2012 no País, foram abatidas 35,98 milhões de cabeças de suínos, um crescimento de 3,2% em relação a 2011. A série anual mostra que houve crescimento ininterrupto dessa atividade desde 2005. O peso acumulado das carcaças no abate de suínos, em 2012, alcançou 3,465 milhões de toneladas, representando aumento de 2,8% em relação ao ano anterior.
Já o abate de frangos no território paraense, somou 41,78 milhões de animais, o que representou um aumento de 9,8% sobre o volume registrado em 2011. Nos últimos três meses de 2011 e 2012, a variação no Estado foi positiva (5,2%), resulta no abate de 10,91 milhões de frangos. A marca nacional indicou 5,23 bilhões de animais abatidos em 2012 – 0,9% a mais sobre o volume de 2011. Nos trimestres analisados, foi indicada uma queda de 2,8%, de 1,32 bilhão de cabeças abatidas para 1,28 bilhão.A produção de ovos de galinha no Pará ainda subiu 9,4%, chegando a 4,18 milhões de dúzias entre outubro e dezembro de 2012.
A aquisição de leite cru pela indústria paraense neste último trimestre foi de 78,24 mil litros, queda de 7,7% em relação ao mesmo período de 2011 (era 84,78 mil litros). No ano, a produção fechou em 297,47 mil litros – 5,2% superior a marca de 2011. Já a aquisição de couro pelos curtumes no Pará teve aumento no 4º trimestre em comparação com o mesmo período de 2011 (6,9%). Passou de 570,25 mil unidades para 609,33 mil, se mantendo na sétima posição, entre todos os Estados brasileiros. No ano, foram 2,41 milhões, resultante da variação positiva de 10,1% em relação a 2011.

Fonte: O Liberal

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-dl

ruralbook

Rodrigo Fraoli - CEO Ruralbook / Designer / Especialista em MKT Digital para o Agronegócio. * Saiba mais em #mktparaoagro - RURALBOOK *

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Validar Operação * O limite de tempo está esgotado. Por favor, recarregue o CAPTCHA.