Prêmio AGROPARÁ 2017 destaca as 18 personalidades do Agronegócio Paraense

Zootecnista Guilherme Minssen, consultor da revista Agropará, destaca que premiação é a maior do Norte e Nordeste do País (Foto: Fernando Araújo)

Dando visibilidade e reconhecimento aos produtores rurais paraenses, nesta quarta-feira (29), serão divulgadas as personalidades do campo que mais se destacaram este ano no Estado. A 3° edição do Prêmio Agropará, realização do DIÁRIO, será realizada no Auditório Albano Franco, na Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), em Belém. Durante o evento, os produtores que mais se sobressaíram no agronegócio, em 18 categorias, divididas entre produção animal e vegetal, serão homenageados pelo trabalho que desenvolvem em prol da economia local.

A premiação, assim como a revista Agropará – encartada a cada dois meses em edição dominical do DIÁRIO-, é um marco importante desde 2015, quando passou a valorizar o trabalho do homem do campo e sua importância para economia do Estado. O zootecnista e consultor técnico da Agropará, Guilherme Minssen, lembra que estar na lista dos indicados da premiação é um privilégio. “Assim, o produtor tem seu trabalho reconhecido e valorizado. Isso é um destaque, pois essa é a maior premiação do campo no Norte e Nordeste do Brasil”, destaca.

CRITÉRIOS

Segundo Minssen, estão sendo avaliados na premiação vários critérios, entre eles, produtividade, tecnologia, boas práticas, geração de empregos, gestão, importância para a produção local, entre outras características.

CENSO AGRO

A produção agropecuária tem enorme importância na geração de emprego e renda no Pará, onde cerca de 230 mil estabelecimentos em 144 municípios serão visitados pelos recenseadores que coletam dados para o Censo Agro 2017.

O Pará conta com 26 subáreas, entre as quais se dividirão os mais de mil recenseadores que devem ser distribuídos em campo para a coleta de dados do censo – atualmente, cerca de 60% dos pesquisadores já estão realizando entrevistas.

Até o início de novembro, quando a operação completou um mês em campo, 10% dos estabelecimentos haviam sido recenseados, o que corresponde a cerca de 20 mil propriedades.

PRÊMIO AGROPARÁ

3ª EDIÇÃO
Quando: quarta-feira, 29 de novembro
Onde: Auditório Albano Franco, na Federação das Indústrias do Pará (Fiepa)
Endereço: Tv. Quintino Bocaiuva, 1588 – Nazaré
Horário: 20h

SETOR PECUÁRIA

1 – BOVINOS
​Altair Burlamaqui e Brenno Borges – Fazenda Carioca – Castanhal
Carlos Eduardo Ribeiro do Valle – Fazenda Mutirão – Paragominas
​Mauro Lúcio Castro Costa – Fazenda Marupiara – Paragominas

2 – BUBALINOS
Júnior Santa Helena – Lacticínios Caboco – Marapanim
Fiore di Búfala (grupo BUBRAS) – Tomé-Açu
Marcus Pinheiro – Salvaterra – Ilha do Marajó

3 – EQUINOS, ASININOS e MUARES
Roberto Paulinelli – Mangalarga Marchador e Muares – Rio Maria
Haras Vitória – Brasileiro de Hipismo – Benevides
Renato Giordano – Mangalarga – Ipixuna do Pará

4 – OVINOCULTURA e SUINOCULTURA
Gilmar Tavares Oliveira – Agroreal – Castanhal
Marcos e Murilo Zancaner – Pagrisa – Paragominas
Milton Schnorr – Fazenda Alecrim – Santarém

5 – AVICULTURA
Raul Cepeda Fonseca – Granjas Amazônia – Santa Izabel
Ernesto Kakuei Takakura – Santo Antônio do Tauá
Yasuhida Watanabe – Frango Americano – Santa Izabel

6 – AQUICULTURA
Aquicon – Associação dos Aquicultores de Conceição do Araguaia
Valdir Gama – Piscicultura 18 – Alevinos – Igarapé-Açu
A.P.A. – Associação Paragominense de Aquicultura – Paragominas

7 – APICULTURA e MELIPONICULTURA
Fapic – Gerson de Morais – Marapanim, Pirabas e Curuçá
Apimec – Hélio Rios – Eldorado do Carajás
Apisan – Oziel Monteiro de Souza – Santarém Novo

8 – MERCADO PET
Aquanorte – André Cunha – Belém
Vitória Régia Lagos e Jardins – Belém
King’s Pet – Praça Batista Campos – Belém

SETOR AGRICULTURA

9 – GRÃOS – ARROZ, SOJA e MILHO
Agro São João – Soja – Rondon do Pará (Cliente ruralbook)
Valmor Anversa – Soja e Milho – Paragominas
Paulo Cesar Quartiero – Arroz Acostumado – Santa Cruz do Arari

10 – PALMA, ÓLEOS E GORDURAS VEGETAIS
Agropalma – Marcelo Britto
ADM do Brasil – Archer Daniels Midland
Dendê do Tauá S/A – Dentauá – Santo Antônio do Tauá

11 – CITROS
Claudinei da Silva Costa – Gelo Mania e Limão
Nadja Ornela – Laranjas – Fazenda Ornela
Júnior Zamperlini – Laranjas e Limões – Citropar – Capitão Poço

12 – AÇAÍ
Eloy Luiz Vaccaro – Açaí Amazonas – Óbidos
Francisco de Jesus Costa Ferreira – Palamaz Agroindústria
CAMTA – Cooperativa Agrícola Mista de Tomé-Açu

13 – CACAU
Dona Nena – Cacau Orgânico – Filha do Combu
Nei Teixeira – Rod. Transamazônica – Medicilândia
Rita de Cássia Fernandez Aguiar – Cacauway – Medicilândia

14 – FLORESTAS e MADEIRAS
João Lucas S. da Silva – Floresteca
Tramontina Reflorestamento – Icoaraci
Bemal – Betzel Madeiras Ltda.

15 – MANDIOCA e FEIJÃO CAUPI
Francisco Douglas Rocha Cunha – Augusto Corrêa
Edival Akitó Matsuzaki – Tracuateua
Benedito Dutra Luz de Souza – Tracuateua

16 – FLORES e PLANTAS ORNAMENTAIS
Aflorben – Associação de Floricultores de Benevides
Di Fiori Orquídeas – Castanhal
​Orquidário Torres – Castanhal

EXTENSÃO E ORGANIZAÇÃO RURAL DE PRODUTORES RURAIS

17 – DESTAQUE GERAL 2017
ABEG – Associação Brasileira dos Exportadores de Gado
NCCMMA – Núcleo dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador da Amazônia (Cliente ruralbook)
ACGA – Associação dos Criadores de Guzerá da Amazônia (Cliente ruralbook)

18 – TÉCNICO DESTAQUE em AGRONEGÓCIOS no PARÁ 2017
Eng. Agrônomo Armando Dias Teixeira Neto – Paragominas

A pecuária é destaque entre as categorias do Prêmio Agropará que está em sua terceira edição (Foto: Fernando Araújo)

REVISTA AGROPARÁ

No próximo dia 10 dezembro, um domingo, todos os ganhadores sairão na 9ª edição da Revista Agropará, que será encartada de forma gratuita no DIÁRIO.

A primeira publicação especializada no setor do campo no Pará vai trazer reportagens sobre as categorias do Prêmio Agropará, entrevistas e colunas do consultor Guilherme Minssen e do jornalista Mauro Bonna.

A publicação traz ainda o calendário do agronegócio no Estado, curiosidades, informações sobre comportamento, tecnologias e produção sobre o meio rural paraense.

Crescimento sustentável do campo paraense gera emprego e renda

O agronegócio no Pará tem ganhado destaque graças ao uso de tecnologia e produção segura em ambientes ambientalmente equilibrados. Em 2008, as pastagens ocupavam uma área correspondente a 12% do Estado, hoje, elas não somam mais de 10%, com cerca de 13.500.000 hectares. O setor agropecuário local é um dos mais diversificados e a tendência é o crescimento das categorias que serão contempladas no prêmio Agropará.

A Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) aponta que os investimentos no setor primário paraense geram um faturamento médio anual de R$ 12,5 bilhões e ocupa cerca de 800 mil pessoas em empregos diretos e indiretos no Estado.

O Pará é referência na pecuária de corte de bovinos e bubalinos, fruticultura, madeira serrada, equinocultura, cultivo de castanha do Pará, mandioca, feijão, palmáceas, fibra de caroá, na aquicultura, pesca e apicultura.

Homenagem mostra importância econômica do agronegócio

O pecuarista Altair Burlamaqui diz que só o fato de estar participando do prêmio Agropará e ser um dos finalistas na categoria do setor de bovinos é motivo de orgulho. “A iniciativa do DIÁRIO é fantástica, porque o agronegócio é sempre o patinho feio da cadeia produtiva do Estado, sendo taxado de desmatador, de violento, mas ninguém lembra da importância da nossa atividade para a economia do Pará e do Brasil”, ressalta.

Burlamaqui ressaltou a visão e a coragem do DIÁRIO em realizar a premiação, indo na contramão da grande mídia que, segundo ele, “só faz criticar e bater no agronegócio”. O Prêmio Agropará vem, na avaliação do pecuarista, “valorizar um segmento que no final das contas é que gera o desenvolvimento e dá os melhores índices econômicos para o Brasil”, avalia o proprietário da fazenda Carioca, em Castanhal.

Mauro Lúcio Castro Costa, pecuarista da Fazenda Marupiara, em Paragominas, também é finalista na categoria Bovinos e ressalta que está com “um frio na barriga” por ter a possibilidade de sair vencedor da premiação. “É muito importante pegar o agronegócio que é a grande força, a grande locomotiva do nosso Estado, e ressaltar os valores de quem constrói esse segmento”, analisa.

ENTRE AS MELHORES

Costa lembra que a pecuária do Pará está entre as melhores do Brasil e utiliza hoje as técnicas mais modernas de criação existentes no mundo. “Estar entre os três primeiros colocados nessa categoria e poder mostrar um pouco do que fazemos aqui no Pará, para mim, é motivo de muito orgulho e reconhecimento ao que produzimos. O páreo será duro, mas eu quero ganhar”, pontua.

(Roberta Paraense e Luiz Flávio/Diário do Pará)

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/rb9csjz

ruralbook

Rodrigo Fraoli – CEO Ruralbook / Designer / Especialista em MKT Digital para o Agronegócio.

* Saiba mais em #mktparaoagro – RURALBOOK *

Você pode gostar...