Rabobank aumenta previsão de déficit global de café – Café Point

O Rabobank aumentou sua previsão de déficit global de café na próxima estação, em consequência do clima seco em todas as principais regiões produtoras de café robusta. O banco aparou ligeiramente sua ideia de déficit para 2015/2016, com a produção total de café sendo reduzida em apenas 0,8 milhão de sacas, comparado com a previsão anterior de 1,2 milhão de sacas. Porém, para 2016/2017, o Rabobank previu que a demanda excederá a oferta em 2,2 milhões de sacas, 1,5 milhão de sacas a mais que se pensava anteriormente.

Fonte: Internet

Fonte: Internet

O déficit caiu devido à produção muito baixa de robusta. O mercado de robusta para 2016/2017 deverá ter um déficit de 4,6 milhões de sacas, 1,3 milhão de sacas a mais do que a previsão anterior.

“Os fundamentos continuam a dar suporte aos preços do robusta”, disse Rabobank. “Desde nossa última previsão, o clima na Índia, Tailândia e a área de robusta do Brasil estão mais secas que o normal, de forma que não esperamos que as principais origens tenham colheitas excelentes. A seca na Índia deverá causar uma queda de duplos dígitos com relação aos níveis muito bons vistos na colheita anterior”.

As colheitas na Tailândia e Laos também deverá sofrer com o clima seco.

No Brasil, o segundo maior produtor mundial, a seca também será um problema. O Rabobank manteve sua previsão de colheita brasileira para 2016/2017, em 52,6 milhões de sacas, incluindo 12,6 milhões de sacas de robusta. Mas o foco agora está se voltando à colheita de 2017/2018, disse o banco.

“Após chuvas constantemente decepcionantes, o mercado está se perguntando o quão baixa poderá ser a colheita brasileira de robusta. Acreditamos que qualquer coisa acima de 16 milhões de sacas é improvável, à medida que o crescimento do ramo tem sido extremamente baixo. O fator definidor serão as chuvas durante o período de floração”.

“As baixas chuvas nos últimos meses significam que os reservatórios estão atualmente baixos ou vazios, e conforme o resultado, os produtores não terão água suficiente para induzir artificialmente a floração. Assim, não podemos descartar a possibilidade de uma colheita ainda menor de robusta na próxima estação”.

Ainda, a dificuldade do mercado será reduzida com os estoques pesados. “A disponibilidade local de robusta é alta, à medida que a grande quantidade de estoques certificados na Europa está caindo lentamente”.

As ofertas de arábica parecem estar amplas, que permitirão que os torrefadores substituam o robusta por arábica em seus blends. “As fortes chuvas nas áreas de arábica do Brasil fornecerá disponibilidade de bebidas de grãos arábica de menor qualidade, facilitando a troca de robusta por arábica”.

O Rabobank aumentou sua previsão colombiana na produção de 2016/2017 em 0,4 milhão de sacas, para 14,4 milhões, citando “chuvas excelentes que suportarão a colheita principal”.

Mas há potenciais problemas no Brasil, onde os riscos de geadas estão surgindo. “No momento da publicação desse relatório há um pequeno risco de geadas no Paraná e potencialmente em outras áreas de café, que não estamos considerando”.

“Acreditamos que nos próximos dois meses, o mercado de arábica deverá focar nas possibilidades do risco de geadas no Brasil, especialmente no caso do evento de La Niña no inverno do Hemisfério Sul, e as taxas de conversão de cerejas a grãos verdes no Brasil”.

As informações são do Agrimoney/ Tradução por Juliana Santin

Fonte: Café Point

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/Fro2j

Você pode gostar...

Seja o primeiro a comentar