Sedap debate desenvolvimento da cadeia produtiva da mandioca com produtores de Bragança – Agência Pará

Começou na terça-feira (09), em Bragança, o segundo seminário participativo para definição do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Mandioca no Estado do Pará, que vem sendo formulado pela Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap). Mais de 50 produtores, técnicos e pesquisadores de oito municípios da região nordeste do estado estão reunidas no Centro de Treinamento da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) do Pará, no município. O seminário segue até hoje quarta-feira (10).

FOTO: ASCOM SEDAP DATA: 08.08.2016 BRAGANÇA - PARÁ

FOTO: ASCOM SEDAP
DATA: 08.08.2016
BRAGANÇA – PARÁ

Os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam que os dez municípios com maior produção de mandioca no Pará são, pela ordem, Acará, Santarém, Oriximiná, Alenquer, Bragança, Belterra, Santa Maria do Pará, Mojuí dos Campos, Juruti e Óbidos. Estes municípios, somados, respondem por 40% da produção total paraense. Com uma produção anual de 4,6 milhões de toneladas e uma área plantada de pouco mais de 302 mil hectares, o Pará é o maior produtor brasileiro de mandioca.

O primeiro seminário para definição do programa foi realizado pela Sedap em julho, em Santarém, e reuniu produtores da região oeste do estado. Agora, estão sendo ouvidos produtores dos municípios de Bragança, Capanema, Santa Maria, Bonito, Ourém, Tracuateua, Garrafão do Norte e Igarapé-Açu. “Todos os elos da cadeia estão representados neste seminário. Desde o produtor de mandioca, até a pessoa que industrializa a produção, passando pelo fornecedor de equipamentos para a indústria”, explica o diretor de Agricultura Familiar da Sedap, Luiz Pinto.

Entender a dinâmica dos cultivos de mandioca no estado é fundamental para definir as ações do Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Mandioca no Estado do Pará, que vem sendo elaborado pela Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) em parceria com a Embrapa, Organização das Cooperativas Brasileira (OCB), Faepa, Fetagri, Adepará, Emater e Sedeme.

A implantação de um novo modelo de arranjo produtivo para a mandioca faz parte das ações do Programa Pará 2030, um plano estratégico elaborado pelo governo do Estado para fomentar o desenvolvimento sustentável. No caso da mandioca, uma das cadeias consideradas pelo Pará 2030 como prioritárias, a ideia é incorporar segmentos industriais e novas tecnologias para aumentar a geração de renda, principalmente na agricultura familiar onde se concentra a produção de mandioca, e gerar novos empregos em diferentes setores econômicos ligados ao processamento e venda do produto.

Por Simone Romero

Fonte: Agência Pará

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-2up

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Validar Operação * O limite de tempo está esgotado. Por favor, recarregue o CAPTCHA.