Soja intensifica altas em Chicago com chuvas nos EUA e leva vencimento maio/17 aos US$ 10 – Notícias Agrícolas

A recuperação dos preços continua na Bolsa de Chicago durante a sessão da terça-feira (20). Os futuros da oleaginosa, por volta de 12h30 (horário de Brasília), registravam altas de mais de 18 pontos entre os principais vencimentos, levando o maio/17, referência para a nova safra do Brasil, a US$ 10,03 por bushel. Na máxima do dia, a posição já bateu nos US$ 10,06. O novembro/16, que segue como o contrato mais negociado agora e referência para a safra americana, era cotado a US$ 9,91, após encostar nos US$ 9,94 ao longo dos negócios. 

Fonte: Internet

Fonte: Internet

As condições climáticas nos Estados Unidos voltaram ao centro das atenções dos traders na CBOT, uma vez que as chuvas intensas que chegam ao Meio-Oeste americano podem trazer complicações para a colheita da soja no país. Tempestades continuam chegando ao Corn Belt, elevando os volumes acumulados, em determinadas regiões, a algo próximo de 180 mm nos próximos sete dias, segundo informações do NOAA, o serviço oficial de clima dos EUA. Mapas climáticos para os próximos 6 a 10 e 8 a 14 dias mostram a manutenção do padrão ainda bastante úmido. 

A colheita da soja nos Estados Unidos já foi iniciada em alguns pontos do país e, de acordo com os últimos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) já foi concluída em 4% da área até o domingo, 18, contra 6% do mesmo período do ano passado e 5% de média dos últimos cinco anos. O reporte mostrou ainda que 73% das plantações estão em boas ou excelentes condições e o índice das que estão derrubando suas folhas subiu de 26% para 46%.  

“As condições da soja estão estáveis, porém pode haver algum dano caso as chuvas continuem chegando ao Corn Belt. Ao continuarem, o próximo boletim semanal de acompanhamento de safras pode mostrar uma piora nas condições das lavouras”, disse, em entrevista à Reuters Internacional, o analista de mercado Kaname Gokon da corretora japonesa Okato Shoji. 

Ainda no quadro climático, especulações sobre a nova safra do Brasil. Chegam a Chicago as especulações sobre as impossibilidades de se iniciar, neste momento, o plantio da soja em determinadas áreas em função, principalmente, pela falta de índices de umidade suficientes.  

No paralelo, a demanda volta à cena nesta terça-feira, com a compra pela China de 110 mil toneladas de soja da safra 2016/17 dos EUA. O movimento confirma as expectativas de traders e analistas internacionais de que nação asiática, após seu feriado do Festival de Outono, voltaria a atuar nas compras, dando suporte aos preços. 

Por: Carla Mendes

Banner rodapé fornecedor

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-2IQ

Você pode gostar...