USDA eleva estimativa para safra de soja do Brasil – Globo Rural

Colheita deve chegar a 104 milhões de toneladas, ainda abaixo da produção norte-americana, estimada em 117 milhões de toneladas

O governo dos Estados Unidos reduziu sua estimativa para a produção de soja na safra 2016/2017. De acordo com o relatório mensal de oferta e demanda de janeiro, divulgado nesta quinta-feira (12/1), a colheita local deve ser de 117,21 milhões de toneladas. No documento anterior, divulgado em dezembro de 2016, eram estimados 118,69 milhões de toneladas.

É o último relatório mensal de oferta e demanda divulgado pela administração Barack Obama, que passa o cargo a Donald Trump no próximo dia 20. Os técnicos do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) mantiveram a estimativa de exportação de soja do país em 55,79 milhões de toneladas.

Já a projeção de consumo interno na temporada 2016/2017 passou por um leve ajuste em relação ao relatório anterior, de 56 milhões para 56,02 milhões de toneladas. Os estoques finais norte-americanos foram ajustados de 13,08 milhões para 11,44 milhões de toneladas de soja.

“O preço médio ao produtor na safra 2016/2017 está projetado entre US$ 9 e US$ 10 por bushel”, informa o USDA. Em dezembro passado, os técnicos acreditavam em uma variação entre US$ 8,70 e US$ 10,20 por bushel na cotação local.

Apesar de reduzir suas próprias estimativas, os técnicos do USDA acreditam que o mundo deve colher ainda mais soja. A projeção para a safra mundial 2016/2017 foi revisada de 219,32 milhões para 220,64 milhões de toneladas.

O ajuste para baixo na produção norte-americana foi compensado, principalmente, por uma revisão para cima na perspectiva de produção brasileira. Para o USDA, a colheita da safra nova no Brasil, já iniciada, deve chegar a 104 milhões de toneladas e não mais 102 milhões, como previsto em dezembro de 2016.

Os técnicos do governo dos Estados Unidos também revisaram para cima a expectativa de exportação de soja por parte do Brasil. O número passou de 58,4 milhões de toneladas para 59,5 milhões. Com a demanda interna mantida em 44,1 milhões de toneladas, os estoques finais da safra brasileira devem ser de 19,38 milhões de toneladas.

Para a Argentina, as estimativas do USDA apontam para uma produção de 57 milhões de toneladas, consumo interno de 49,15 milhões, exportações de 9 milhões de toneladas e estoques finais de 31,8 milhões de toneladas de soja.

Por Raphael Salomão

Fonte: Globo Rural

Banner rodapé fornecedor

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
O URL curto do presente artigo é: http://ruralbook.com.br/a0EFP

Você pode gostar...