Você sabe o que significa a sigla RMCA e como ela pode te ajudar?

Você sabe o que significa a sigla RMCA e como ela pode te ajudar?

Existem no mercado inúmeros indicadores para caracterizar a saúde financeira das fazendas leite. Contudo, apenas uma amostra pequena destes índices consegue passar uma avaliação precisa de maneira simples e rápida.

Neste contexto, destaca-se o indicador RMCA – Receita Menos Custo com Alimentação, que demonstra quanto da renda do leite sobra para o pagamento dos demais custos da propriedade, após retirarmos os custos com a alimentação.

Por que ele é importante?

Observe a imagem 1 abaixo. Ela demonstra, de maneira bastante simplificada, a composição do fluxo financeiro de uma fazenda. O lado esquerdo, a “Receita” é o valor total recebido com a venda do leite, ou seja, o dinheiro que “entra” mensalmente na fazenda. O lado direito, engloba os custos do produtor e, o que “sobra”, é o lucro, o que ele “põe no bolso” como resultado de sua atividade.

Imagem 1. Fluxo financeiro simplificado das fazendas de leite.
Fluxo financeiro simplificado das fazendas de leite

Fonte: Milk Point

Como é possível ver pela imagem, os “Custos de Alimentação” configuram uma parcela relevante dos gastos da propriedade, estimada entre 30 e 50% dos custos operacionais de produção, podendo, em alguns casos, ter um peso ainda maior!

Assim, como o RMCA contempla tanto a receita quanto os custos com a alimentação das vacas em lactação – tendo ainda em mente que a alimentação é o principal e mais variável custo – ele pode ser uma boa medida de eficiência econômica da vaca em um dado momento.

Com efeito, o RMCA é o indicador mais simples para se caracterizar a rentabilidade da atividade, comparando-se a mesma fazenda ao longo do tempo ou fazendas com o mesmo sistema de produção.

Mas como o RMCA é calculado?

O RMCA é o resultado da receita diária obtida da venda do leite, por vaca em lactação, subtraída dos gastos de alimentação das vacas em lactação, incluindo concentrados e volumosos. Acompanhe um exemplo:

Vamos supor, num exemplo teórico, que um produtor tenha 10 animais que, juntos, produzam 200 l/dia (média de 20 l/dia cada), recebendo R$ 1,00 pelo litro de leite. Dessa forma, a Receita por vaca/dia é de R$ 20,00. Se subtrairmos dessa conta os custos médios de alimentação das vacas, teremos o RMCA relativa à alimentação das vacas. Assim, supondo um custo de alimentação médio de R$ 8,50 /vaca /dia, o resultado do RMCA é de R$ 11, 50 /vaca/dia.

Assim, analisando o resultado, vemos que R$ 11,50 seria a quantia de dinheiro que sobra ao produtor, para cada vaca em lactação, a cada dia, para pagar as demais despesas e obter lucro.

Importante ressaltar: Quanto mais alto o resultado do RMCA, melhor para o produtor.

Quais variáveis afetam este indicador?

Os fatores que afetam o resultado deste indicador são, como o próprio nome nos mostra, a Receita – englobando o preço/litro recebido e o volume comercializado -, e os Custos com Alimentação das vacas em lactação – quantidade utilizada por vaca e o tipo de insumo utilizado.

Se quiser obter mais informações sobre gestão financeira, acesse o conteúdo completo do curso Gestão financeira de propriedades leiteiras. Nesse curso, Ricardo Godinho, produtor de leite e especialista no assunto, ensina as principais etapas para a gestão financeira eficiente e, além disso, mostra aos alunos como utilizar os dados para a tomada de decisão.

Você pode fazer a aquisição do curso individualmente ou optar pela assinatura que dá acesso a todos os cursos da plataforma. Hoje já são cerca de 160 cursos! Clique aqui para saber mais informações sobre os planos de assinatura!

Reposts: Destaquerural

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-5KF

Você pode gostar...

×