Instituto John Deere recebe prêmio por projeto que prepara adolescentes para o mercado de trabalho

Turma de alunos reunidos na Fábrica da John&Deere

Programa Sonhar, do Instituto John Deere, ficou em segundo lugar no Prêmio Ser Humano, da ABRH-SP

O Instituto John Deere foi um dos destaques da 2ª edição do Prêmio Ser Humano, da ABRH-SP (Associação Brasileira de Recursos Humanos), na modalidade “ESG”.

A premiação consagrou o segundo lugar para o Programa Sonhar, uma iniciativa lançada em 2020, em parceria com o SESI Indaiatuba. O projeto prepara jovens de 16 a 17 anos, estudantes de escolas públicas, para ingressarem no mercado de trabalho.

O Programa está na sua 4ª edição e, neste ano, terá a participação de 25 adolescentes. As aulas começam neste mês de fevereiro, no SESI de Indaiatuba, onde os alunos ficarão de segunda a sexta-feira, durante meio período. O diferencial do Programa está na escolha dos mentores, que são funcionários voluntários da John Deere. Os jovens fazem a seleção por afinidade, baseando-se em cartas de apresentação anônimas.

Os encontros abordam temas cruciais para a vida, como marketing pessoal, relacionamento interpessoal, comunicação e empatia. “O mais importante no Programa é que cada jovem constrói seu projeto de vida, refletindo onde está e onde quer chegar. Assim, ele entende quais são as carreiras para as quais tem aptidão”, explica Fernanda Schaurich, coordenadora de Parcerias Estratégicas da John Deere Brasil.

O Programa Sonhar já formou 60 alunos, sendo que, destes, 36 já entraram no mercado de trabalho. “A conquista do prêmio é motivo de muito orgulho e é também um grande incentivo para novos projetos. O reconhecimento permite que ideias como esta possam ser replicadas. É uma ótima oportunidade para que a empresa mantenha e amplie o investimento social”, conclui Fernanda.

De aluno à estagiário

João Guilherme de Lima Almeida (20), estagiário do Instituto John Deere, é um exemplo do poder transformador do projeto na vida dos adolescentes. Ele foi aluno do Programa em 2020. Depois de formado, João foi contratado como aprendiz e, em fevereiro de 2023, virou estagiário do Instituto. “Na escola pública, eu não tinha perspectiva de futuro. Imaginava sair de lá e trabalhar com o que conseguisse. O Programa Sonhar permitiu meu primeiro contato com uma empresa e me mudou como pessoa também. Hoje, sou um protagonista”, conta o profissional.

Por: John & Deere

Mais Agronotícias