A rotina para garantir a qualidade e segurança do Leite

A analista da Embrapa, Letícia Mendonça, ensina práticas para minimizar a contaminação bacteriana e garantir a qualidade do leite

A qualidade e segurança do leite são aspectos cruciais na indústria de laticínios e, uma rotina de ordenha adequada, é fundamental para garantir ambos. Conforme a analista da Embrapa, Letícia Mendonça, extrair o leite das vacas de maneira higiênica e segura, contribui para minimizar a contaminação por bactérias e sujidades.

Além disso, ajuda a prevenir a transmissão de bactérias entre as vacas, reduzindo o risco de mastite, uma inflamação no útero. Confira quatro pontos principais na rotina de ordenha:

Teste da Caneca: o teste da caneca é crucial para verificar se não há alterações no leite, como a presença de grumos que podem indicar mastite.

Desinfecção dos Tetos (Pré-DIP): a desinfecção antes da ordenha elimina bactérias da pele, reduzindo a contagem bacteriana no leite e prevenindo mastite.

Secagem dos Tetos: secar os tetos com papel toalha ajuda a reduzir ainda mais a contagem bacteriana e evita que os ordenhadores escorreguem.

Desinfecção Pós-Ordenha (Pós-DIP): a desinfecção após a ordenha elimina bactérias que podem ter vindo das mãos do ordenhador ou do equipamento de ordenha, prevenindo a transmissão de bactérias contagiosas de vaca para vaca.

Letícia Mendonça reitera que seguir esses passos garantirá a produção de leite de ótima qualidade, um aspecto vital para a saúde tanto das vacas quanto dos consumidores.

O vídeo abaixo serve como um guia informativo para todos os envolvidos na indústria de laticínios, reforçando a importância de práticas de ordenha seguras e eficazes. Confira:

Mais Agronotícias