Safra de soja é marcada por replantio

Replantio já foi feito em quatro estados brasileiros

Imagem: Nadia Borges 

Segundo o Boletim Semanal da Conab, o cenário da soja no Brasil vem sendo afetado pelas condições climáticas adversas. A falta de chuvas e umidade no centro norte, vem impactando as lavouras, bem como o excesso de chuvas no sul. Em Mato Grosso, a irregularidade nas chuvas tem impactado o ritmo de plantio. Apesar do desafio representado pelas baixas precipitações, a maioria das lavouras ainda demonstra um bom desenvolvimento. Observa-se, no entanto, a necessidade de replantios em várias regiões do estado.

Em Goiás, o cenário se divide: no Sudoeste, o plantio está sendo finalizado, beneficiado pelas chuvas, enquanto em outras áreas, a irregularidade das precipitações continua a causar atrasos, assim como replantios. De forma semelhante, em Mato Grosso do Sul, a melhoria nas condições de umidade favoreceu a semeadura, principalmente ao norte. Contudo, o déficit hídrico em algumas regiões ainda exige replantios.

Em Minas Gerais, a semeadura enfrenta atrasos em relação à safra passada, principalmente devido à ausência ou irregularidade nas chuvas. Em contraste, em São Paulo  o tempo seco favoreceu a evolução do plantio.

No Rio Grande do Sul, dias de tempo estável permitiram um avanço significativo na semeadura. No Paraná, condições climáticas mais secas também contribuíram para o progresso no plantio e nos tratos culturais.

Por outro lado, no Maranhão, as precipitações regulares impulsionaram o avanço na área semeada. No Tocantins  a retomada das chuvas permitiu reiniciar o plantio, embora o estabelecimento inicial irregular tenha levado a replantios em várias regiões. Na Bahia, as chuvas viabilizaram o plantio de sequeiro em algumas áreas.

Por fim, no Piauí e Pará , os baixos volumes de chuva estão desacelerando o início do plantio, embora no PA, o retorno das precipitações no Sudeste e Sudoeste tenha melhorado as condições das lavouras.

PROGRESSO DA SAFRA

Semana de 06 de outubro a 12 de novembro de 2023

Percentual da área semeada nacional: 57,6%

A nível nacional, 57,6% da soja está plantada, 8.4% atrasado em relação à safra anterior (66% no mesmo período). Além disso, com as lavouras mais adiantadas entrando nos estádios de floração, o cenário é crítico em relação à falta de chuvas e as temperaturas elevadas.

  • No Tocantins, houve um aumento de 8% na última semana, alcançando 25% do plantio, mas ainda está significativamente atrasado em comparação à safra anterior, que estava em 45%.
  • No Maranhão, o progresso da semana foi de 6%, atingindo 14% no monitoramento atual, o que também representa um atraso considerável em relação aos 31% do mesmo período na safra passada.
  • No Piauí, o avanço foi de 5% na última semana, chegando a 5% do plantio, o que indica um atraso muito acentuado em comparação aos 16% da safra anterior.
  • A Bahia viu um crescimento de 6% na semana, atingindo 10% do plantio, ficando ainda abaixo dos 37% da safra passada.
  • Mato Grosso e Mato Grosso do Sul mostraram aumentos de 7.9% e 10% respectivamente, alcançando 88.1% e 80% do plantio.
  • Ambos ainda estão atrasados em relação à safra anterior, que estava em 97.4% e 93% respectivamente.
  • Goiás teve um aumento de 12%, chegando a 53%, mas ainda abaixo dos 61% da safra passada.
  • Minas Gerais teve um crescimento de 11.3% na semana, atingindo 41.9%, indicando um atraso em relação aos 52% da safra anterior.
  • Em São Paulo, o progresso atinge 85%, estando adiantado em comparação aos 80% do mesmo período na safra passada.
  • O Paraná teve um aumento de 4% na semana, chegando a 73%, mas está atrasado em relação aos 79% da safra anterior.
  • Santa Catarina viu um avanço de 12% na semana, alcançando 36%, o que representa um progresso notável, acima dos 23% da safra passada.
  • No Rio Grande do Sul, o aumento foi de 14%, atingindo 16%, ainda atrasado em comparação aos 18% da safra anterior.

A análise é do meteorologista, Gabriel Rodrigues com informações obtidas no boletim de Progresso de Safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab)
Por: Agrolink

Mais Agronotícias