COP28: O que é e qual sua importância para o Brasil?

A COP 28 discute, junto aos principais líderes de 197 países, estratégias e soluções para ajudar na desaceleração dos efeitos do aquecimento global. (Imagem: REUTERS/Rula Rouhana)

Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2023, chamada de COP28, acontece entre os dias 30 de novembro e 12 de dezembro em Dubai, nos Emirados Árabes. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Ministro da Economia, Fernando Haddad, já estão a caminho da reunião.

O evento discute, junto aos principais líderes de 197 países, estratégias e soluções para ajudar na desaceleração dos efeitos do aquecimento global.

Entre as pautas está a diminuição da emissão de gases poluentes e demais medidas que evitem problemas como aumento da temperatura do planeta e consequentemente, desastres naturais. Este ano, as pautas de destaques são financiamento climático e balanço global da implementação do Acordo de Paris.

A conferência se estende por duas semanas, sendo a primeira delas reservada para palestras técnicas e a segunda para a oficialização de acordo com os presentes.

Por que a COP28 é importante para o Brasil? 

O Brasil participa da conferência desde a segunda reunião da COP, em 1992, durante a Cúpula da Terra, que ajudou a propagar o conceito de desenvolvimento sustentável.

Desde então o Brasil tem se mostrado bastante ativo nas pautas ecológicas. O governo e sua equipe econômica já demostraram suas intenções e focar em iniciativas verdes e que coloquem o país como protagonista destas ações.

Como já demostrado em diversos discurso de Lula nos países desenvolvidos, em conjunto com demais países em desenvolvimento, o Brasil deve pressionar pela disponibilização de quantias em financiamento de projetos de mitigação e adaptação climáticos.

Na COP28, os líderes devem mostrar uma série de iniciativas da sua NDC (Contribuições Nacionalmente Determinadas) – e implementação do Acordo de Paris. A NDC brasileira é composta pelo combate ao desmatamento, uso de biocombustíveis, implementação do Código Florestal (CFlor), recuperação de áreas degradadas de florestas e pastagens.

Por: Agro Times

Mais Agronotícias