Plantio de soja se aproxima do final no Brasil e produtores seguem negociando pouco

Com o plantio se aproximando do final no Brasil, a expectativa segue sendo de uma safra de soja cheia no Brasil. O ritmo dos negócios, no entanto, segue lento. Os produtores estão negociando pouco e esperando por preços melhores.

A comercialização da safra 2021/22 de soja do Brasil envolve 92,6% da produção projetada, conforme relatório de SAFRAS & Mercado, com dados recolhidos até 8 de dezembro. No relatório anterior, com dados de 4 de novembro, o número era de 89,2%.

Em igual período do ano passado, a negociação envolvia 93,6% e a média de cinco anos para o período é de 96%. Levando-se em conta uma safra estimada em 127,44 milhões de toneladas, o total de soja já negociado é de 117,95 milhões de toneladas.

As vendas antecipadas da safra 2022/23 avançaram levemente no período. Levando-se em conta uma safra estimada em 154,532 milhões de toneladas, SAFRAS projeta uma comercialização antecipada de 23,6%, envolvendo 36,52 milhões de toneladas. Em igual período do ano passado, a comercialização antecipada era de 32,5% e a média para o período é de 37,6%. Em 4 de novembro, o número era de 20,6%.

Conab

A produção brasileira de soja deverá totalizar 153,477 milhões de toneladas na temporada 2022/23, com aumento de 22,2% na comparação com a temporada anterior, quando foram colhidas 125,55 milhões de toneladas. A projeção faz parte do 3º levantamento de acompanhamento da safra brasileira de grãos, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). No mês passado, a Conab apontava safra de 153,54 milhões de toneladas.

A Conab trabalha com uma área de 43,4 milhões de hectares, com elevação de 4,6% sobre o ano anterior, quando foram cultivados 41,49 milhões de hectares. A produtividade está estimada em 3.536 quilos por hectare. Em 2021/22, o rendimento ficou em 3.026 quilos por hectare.

Nas pesquisas realizadas para esse levantamento, a evolução da semeadura das culturas de primeira safra apresenta um leve atraso. “Essa cautela dos produtores é natural em um cenário climático que apresenta excesso de chuvas e baixas temperaturas, sobretudo em parte dos estados das Regiões Sul e Sudeste, e ainda as restrições hídricas e baixa umidade do solo na Região Centro-Oeste e no Matopiba. Ainda assim, a produção estimada para a safra 2022/23 continua recorde”, afirma o presidente da Conab, Guilherme Ribeiro.

No caso da soja, a conclusão da semeadura está prevista para o final de dezembro e as condições climáticas vêm beneficiando as lavouras. “Durante o levantamento de campo, identificamos que a leve redução na produtividade sobre a estimativa do mês anterior foi compensada pelos acréscimos nas áreas, em especial no Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Minas Gerais”, afirma o diretor de Informações Agropecuárias e Políticas Agrícolas da Conab, Sergio De Zen.

Repost: Agência SAFRAS

Mais Agronotícias